small-blog

SUPER FEIRÃO CAIXA 2021 / SOMOS AGENTE CREDENCIADO

Vai ficar fora desta incrível oportunidade?6.000 imóveis e 25/06 a 04/07 super Feirão de Imóveis com até 50% abaixo do valor de mercado. Confira oportunidade em todo o estado do Rio Grande do Sul.Entre em contato com nossos consultores.Agente Credenciado

Mais informações
small-blog

Qual a diferença entre SFH e SFI?

O financiamento imobiliário é um dos principais meios para conquistar o sonho da casa própria. A compra de um imóvel é, muitas vezes, o maior investimento que alguém faz ao longo da vida, por isso, essa aquisição precisa ser muito bem estudada e analisada.No Brasil, atualmente, existem dois sistemas de financiamento imobiliário. O Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e o Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). Mas qual a diferença de cada um deles? O que eles afetam na hora de escolher o financiamento imobiliário? Saiba que a escolha do tipo do financiamento depende de diversos fatores, como renda, valor do imóvel, prazo, entre outros critérios.SFH - Sistema Financeiro da HabitaçãoO SFH é o sistema de financiamento imobiliário mais utilizado no país. Foi regulamentado pela Lei nº 4.380, de 21 de agosto de 1964. O SFH tem como finalidade promover a construção e a aquisição da casa própria ou moradia.As operações no âmbito do SFH permitem a utilização de valores depositados em conta do FGTS na compra de um imóvel, o que não acontece nas contratações pelo SFI. "Os recursos do FGTS podem ser utilizados para: pagamento total ou parcial do valor de aquisição do imóvel construído ou em construção; pagamento parcial das prestações do financiamento; ou amortização ou liquidação do saldo devedor do financiamento".No âmbito do SFH, o valor máximo de avaliação do imóvel� é de R$ 1,5 milhão. Já a taxa efetiva de juros máxima permitida é de 12% ao ano +TR. e as parcelas não podem comprometer mais de 30% da renda da família. No SFI, não existe limitação nas taxas de juros, pois são livremente pactuadas entre as partes.SFI - Sistema Financeiro ImobiliárioO SFI, criado pela Lei 9.514, de 20 de novembro de 1997, e trata dos financiamentos imobiliários que ocorrem fora das regras do SFH no país. Utiliza recursos de grandes investidores institucionais, que possuem expressivos ativos, não só no Brasil, como em outros países: fundos de pensão, fundos de renda fixa, companhias seguradoras, bancos de investimento.No âmbito SFI não existe valor máximo de avaliação do imóvel. Não há limite de renda comprometida, ou seja, você poderá pagar parcelas mais altas e quitar o financiamento em menos tempo. E a taxa de juros é variável, podendo ultrapassar os 12% a.a. do SFH.Fundo de Garantia por Tempo de Serviço - FTGSA principal diferença entre o SFH e o SFI está na utilização do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço - FGTS para o financiamento imobiliário. Que só é possível utilizar para contratos feitos pelo SFH, porém, com algumas ressalvas:1. Mínimo de 3 anos de trabalho sob o regime de FGTS.2. Contrato de trabalho ativo no FGTS na data de concessão do financiamento ou com saldo na conta vinculada do FGTS correspondente a, no mínimo, 10% do valor de avaliação do imóvel.3. Contratantes não podem ter outro financiamento concedido no SFH ou ser proprietário de imóvel no município de residência ou onde exerça sua ocupação.Diferenças entre SFH x SFISFHPode usar o FGTS;Avaliação do imóvel é de até R$ 1,5 milhão;Taxa de juros máxima é de 12% a.a. + TR.;As parcelas do financiamento não podem comprometer mais de 30% da renda da família.SFINão limite para taxas de juros;Não existe valor máximo de avaliação de imóvel;Não há limite de renda comprometida;A compra do imóvel pode ser feita por meio de pessoa física ou jurídica.Se você tem interesse em adquirir um imóvel e� estava com dúvidas sobre qual o melhor sistema de financiamento para o seu caso, espero que nosso conteúdo ajude você!Fonte: spimovel

Mais informações
small-blog

Saiba mais sobre a decoração que une o moderno ao sofisticado

Uma decoração moderna sofisticada é ideal para quem busca um ambiente elegante, prático e aconchegante. Para isso, aposte na simplicidade e nas características do estilo minimalista. Dessa forma, além de trazer muita beleza para a composição, cada item da decoração será bastante funcional para o dia a dia.Para o moderno ter um visual sofisticado, invista em mobílias de madeira, itens decorativos coloridos e com diferentes texturas, no uso correto do espelho para ampliar as dimensões com sutileza e elegância, entre outros. Com certeza, o resultado será um ambiente leve, organizado e que proporcionará ótimo bem-estar.Ficou interessado e quer saber mais sobre o assunto? Então, acompanhe a leitura e confira nossas dicas para criar um ambiente que une o moderno ao sofisticado!Rack com painelO rack com painel de TV pode ser em madeira, que é um material bastante resistente, durável e versátil. Ele é fixado na parede e pode conter iluminação embutida, o que deixa o ambiente ainda mais sofisticado, elegante e funcional. Por conta do tom terroso do rack de madeira, ele combina com diversas paletas de cores, sendo fácil e prático compor todo o ambiente de forma harmônica.Caso seja a sua preferência, o rack pode ser laqueado em branco, por exemplo. Uma dica é escolher tons neutros para esse móvel, uma vez que simplifica na hora de decorar com cores variadas. Assim, cria um espaço bastante equilibrado.O rack abaixo do painel é perfeito para organizar revistas e jornais, enfeitar com artigos de decoração ― como porta-retratos, vasos com flores, itens de colecionador etc. ― e, ainda, pode conter pequenos armários que ajudam a armazenar os objetos da casa, deixando o ambiente com a arrumação em dia.EspelhosOs espelhos ajudam muito a compor um ambiente elegante e moderno, por isso, são itens curingas na decoração sofisticada. Além disso, fazem com que se tenha mais iluminação no espaço e transmitem a sensação de que ambientes pequenos são maiores, tendo em vista seu efeito de continuidade e profundidade visual.Eles ficam muito bem instalados em paredes inteiras, principalmente na sala, com o intuito de refletir cada cantinho do ambiente, alongando o cômodo. No caso de um ambiente espaçoso, dê preferência a espelhos menores com uma moldura que siga o estilo moderno.A moldura pode ser em material branco ou colorido, em tom dourado metálico, prata, com detalhes bem desenhados, entre outros. O ideal é optar por aquela que melhor componha a decoração.MinimalismoNo estilo minimalista, aplica-se o ditado de que menos é mais. Ou seja, cada item da decoração oferece alguma funcionalidade para o dia a dia, além de enfeitar o ambiente. Assim, crie um ambiente com simplicidade, mas que ofereça muita praticidade durante a rotina, principalmente para que todos os objetos pessoais tenham um lugar para ser guardados. Dessa forma, tudo fica em ordem e sem poluição visual.Leve em consideração que o minimalismo é um estilo que promove muito o bem-estar por meio da organização, limpeza e aspecto clean. Por isso, ele é ideal para ser implementado em um ambiente moderno e sofisticado.Com isso em mente, uma dica é utilizar móveis práticos que ofereçam dupla função, como as mesas de centro com espaço interno para armazenar itens; ou, então, um baú de madeira que serve para guardar objetos, sentar e colocar artigos de decoração em cima, entre outros.Tons terrososAposte em tons terrosos para compor um espaço bastante sofisticado, moderno e elegante. A madeira é um material de muita qualidade que oferece alta resistência. Por isso, é ideal para quem busca móveis que durarão muito tempo. Além disso, ela não necessita de grande manutenção para permanecer bela e vigorosa.Utilizar tons terrosos na decoração também é uma ótima maneira de brincar com uma paleta de cores mais divertida nos artigos de decoração, seja nas almofadas, toalhas de mesa, mantas em cima do sofá, entre outros.Também tenha em mente que a madeira ajuda a deixar o ambiente moderno mais aconchegante, uma vez que ela dá a sensação de ter a natureza dentro de casa. Fazendo, portanto, muito bem ao bem-estar diário.IluminaçãoInvista em um ambiente bastante iluminado, pois, assim, é possível utilizar qualquer cômodo no período noturno. Isso faz com que a funcionalidade da casa esteja presente sempre que preciso.A iluminação também é uma maneira de destacar certos aspectos da decoração, como a iluminação embutida na prateleira, que dá mais ênfase ao artigo de decoração que está sendo exibido. O mesmo é o caso das luzes no painel da TV, nas estantes, na área do bar, entre outros.Contar com uma iluminação boa acima dos espelhos também é uma ótima forma de propagar a iluminação e deixar o ambiente com mais conforto. Lembre-se de escolher os tons das luzes, as quais podem ser frias, neutras ou quentes, pensando no efeito que se busca causar.Mistura de estampasUma tendência do momento é a mistura de estampas, bastante utilizada em almofadas sobre o sofá, por exemplo. Assim, aposte em um conjunto de almofadas lisas, listradas, floridas, bordadas etc., para compor o conforto. Elas ainda podem ser de diferentes materiais, como linho, seda, tricô, entre outros.Outra forma de trazer mais aconchego é por meio de tapetes colocados na sala de estar, na sala de jantar, no quarto, na varanda e no banheiro. Eles podem ser de diferentes materiais e também estampados. Busque a harmonia entre os elementos de decoração sempre, e não tenha medo de errar com cores e texturas variadas.Lembre-se de contar com a ajuda de um bom profissional da área, seja um arquiteto ou designer de interiores, para que você consiga realizar as melhores escolhas ao compor a decoração dos ambientes. Dessa forma, dores de cabeça são evitadas e o resultado será de total satisfação!Fonte: Easydeco

Mais informações
small-blog

Como funciona a reciclagem criativa em condomínios!

Como funciona a reciclagem criativa em condomíniosDescubra como condomínios residenciais vêm apostando na reciclagem criativa e quais os benefícios dessas práticas.A conscientização ambiental é um tema cada vez mais discutido no âmbito coletivo e individual, incluindo a reciclagem criativa que dá vazão a essas iniciativas.A necessidade que a sustentabilidade impõe exige mudanças tanto na forma de consumir quanto no descarte do lixo.Nesse sentido, muitos condomínios residenciais vêm adotando práticas sustentáveis de formas não convencionais.Confira neste artigo como funciona a reciclagem criativa em condomínios. Boa leitura!Quais os benefícios da reciclagem criativa em condomínio?Além da contribuição para o planeta, existem outros benefícios relacionados à reciclagem criativa em condomínios. Confira alguns a seguir.Melhor organização do lixoMétodos alternativos de reciclagem que incluem todos os moradores são favoráveis porque melhoram a organização do lixo.Quando o condomínio destina o local certo para cada tipo de lixo, o ambiente fica mais preparado para lidar com a grande quantidade de lixo que é acumulada diariamente nos condomínios.EconomiaAo destinar o lixo reciclável para empresas específicas, muitos condomínios acabam gerando renda que é destinada aos custos coletivos. Isso contribui para as finanças do condomínio e gera economia, que é sentida diretamente no bolso dos moradores.Como colocar a reciclagem criativa em prática no condomínio?Agora que vimos os benefícios da reciclagem criativa em condomínios, confira algumas ideias de como ela pode ser colocada em prática.Invista em conscientização mútuaNão é obrigação apenas do síndico e zelador incentivar a reciclagem no condomínio. Isso deve ser feito também pelos moradores.Para isso, conscientize toda a família e dê o bom exemplo aos vizinhos, separando os lixos corretamente e contribuindo com as ações sugeridas pela administração do condomínio.Separe o lixo orgânico do reciclávelMuitas pessoas obtêm sua renda da reciclagem e dependem desse trabalho para sobreviver. Por isso, alguns condomínios têm acordos não somente com cooperativas, mas também com catadores individuais.Para facilitar o trabalho dos catadores, é recomendado que você separe o lixo orgânico do reciclável, evitando que esses trabalhadores precisem revirar os lixos em busca dos materiais recicláveis.Destine o lixo orgânico para produção de aduboA produção de adubo orgânico é duplamente benéfica. Em primeiro lugar, esse tipo de adubo é valioso para as plantações e acelera os resultados.Além disso, é uma forma simples de reciclar os materiais orgânicos e diminuir a quantidade de lixo gerada pelas famílias.Alguns condomínios já possuem sua própria composteira, onde os moradores podem colocar seu lixo orgânico para ser transformado em adubo.Mesmo aqueles que optaram por não criar sua composteira, podem destinar esse tipo de lixo para empresas especializadas em coleta de materiais orgânicos.Como os condomínios podem adotar a sustentabilidade criativa?Além da reciclagem em si, os condomínios podem adotar o conceito de sustentabilidade de outras formas. Confira algumas ideias!Gerando economia de energia nos espaços comunsCada vez mais, os condomínios têm focado em ações sustentáveis que envolvem os espaços comuns. Isso passa por economizar energia elétrica nos espaços comuns, instalando sensores de movimento, utilizando melhor a iluminação natural e até instalando painéis solares, em alguns casos.Incentivando a economia colaborativaUm pilar muito importante da sustentabilidade é a economia colaborativa, que tem como premissa o compartilhamento de bens e serviços. Muitos condomínios vêm incentivando esse tipo de economia com ações como:inclusão de coworking em sua estrutura;sistema de compartilhamento de bicicletas;organização de bazar entre os moradores;e outras iniciativas relacionadas.Criando uma horta comunitáriaAs hortas comunitárias também aparecem cada vez mais frequentemente em condomínios residenciais, como forma de cultivar a alimentação saudável e ambientes verdes que melhoram a qualidade do ar no condomínio.Além disso, todo mundo pode participar ao plantar, cuidar e colher os frutos da horta coletiva.Como vimos, a reciclagem coletiva em condomínios é um passo para o futuro da sustentabilidade.No seu condomínio tem um espaço para armazenagem de lixo com acesso exclusivo?  Facilitaria a reciclagem e contribuiria para moradias cada vez mais conscientes ambientalmente.Faça sua parte, selecione o seu lixo!FONTE: TECNISA

Mais informações
small-blog

COMO PINTAR PORTA DE MADEIRA: CONFIRA O PASSO A PASSO!

As portas são a primeira coisa que você vê quando chega em casa. Só que, na maioria das vezes, seu uso restringe-se a uma funcionalidade: controlar o acesso ao lar. Porém, a porta pode ser um super item de decoração da casa, e isso pode ser feito aprendendo como pintar porta de madeira.Sendo assim, se você quiser fazer algo diferente – principalmente nas portas de acesso a ambientes internos – uma boa dica é apostar em tons vivos que harmonizem com as cores dos ambientes em que a porta está.Apesar de existirem diversos tipos de tinta para pintar porta de madeira, alguns são destinados a profissionais. Pois, eles conseguirão dar o acabamento certo à peça e têm a expertise necessária para manipular as tintas com componentes químicos nocivos.� � Mas, listamos aqui tipos de tinta que são tranquilos para você fazer o processo em casa com segurança:� Esmalte sintético à base de águaEssa tinta é a mais recomendada para madeira porque não possui cheiro forte e a secagem é rápida. Isso faz com que o intervalo entre uma demão e outra possa ser menor.� Além disso, os esmaltes sintéticos à base de água possuem acabamento mais resistente que a Látex PVA. Significa que ela pode ser usada em portas externas, assim como receber limpeza com água e sabão.� Esmalte sintético à base de solventeCom poder de cobertura e rendimento maior que as tintas à base de água, o esmalte à base de solvente apresenta grande durabilidade e resistência. Além disso, o produto disponibiliza uma série de cores no sistema de preparação de tintas.� Materiais para pintar porta de madeiraPara fazer o processo em casa, você vai precisar dos seguintes materiais:� jornal ou papelão (para proteger o piso);tinta adequada para madeira;trinchas;lixa para madeira;espátula;bandeja de tinta;rolo;massa ou cera para madeira, caso a porta esteja deteriorada;máscara de proteção;fita crepe;água e sabão (para tintas à base d’água)thinner e estopa (para tintas à base de solvente)� Como pintar porta de madeira: passo a passoLavagem e retirada do póComece limpando a superfície da porta. Tire todo o pó e qualquer outra sujeira que esteja nela. Faça isso com água e sabão neutro. Terminada esta etapa deixe a madeira secar.� Preparação pré-pinturaPara preparar a porta de madeira para pintura, cubra as dobradiças e a maçaneta com fita crepe. Em seguida forre o chão usando jornal ou papelão, para evitar sujar o piso.� Lixe a portaColoque máscara de proteção, luvas e óculos. Passe a lixa em toda a porta e repita o processo se achar necessário (uma lixa mais grossa pode ser interessante para a madeira com tinta). Depois de lixar, limpe a porta com um pano úmido e espere secar.� � Corrija imperfeiçõesSe a porta for antiga ou está com imperfeições, use massa para retirá-las. Isso pode ser feito com o auxílio de uma espátula, para moldar. Espere secar e, caso seja necessário, passe a lixa novamente nos locais onde o produto foi aplicado. Assim a porta ficará sem imperfeições.� Aplique um primerPara facilitar a pintura, aplique um primer. Ele deixa a tinta uniforme e minimiza a necessidade de aplicar muitas demãos. Assim que aplicá-lo, espere secar e lixe novamente para retirar o excesso de produto.� � Aplique a tintaSiga as instruções da embalagem para preparar a tinta. Quando estiver pronta, use o rolo para pintar as áreas maiores e a trincha para superfícies onde ele não chega. Espere secar e veja se uma segunda demão será necessária. Se sim, pinte novamente.Pinte sempre no mesmo sentidoSeja rolo ou trincha, faça a pintura sempre no mesmo sentido. Começou na vertical? Siga assim por toda a porta. Isso evita marcas e deixa o acabamento melhor.� Respeite o tempo de secagemEntre uma demão e outra, assim como na finalização, respeite o tempo de secagem. Geralmente ele está descrito no próprio produto. Caso você não faça isso podem surgir manchas na pintura.� Limpe trinchas e rolo após o usoTerminou de pintar a porta de madeira? Limpe todo o material que você utilizou. Coloque as trinchas e o rolo de molho em solução que dissolva a tinta.� � Aposte em cores vivas e mais clarasPara as portas internas dê preferência à s cores mais claras, pois são� mais fáceis de combinar� e aumentam a luminosidade do ambiente.� Cores de Portas: Ideias e mais de 40 fotos para renovar o ambiente Renovar a casa permite muitas ideias, então, que tal investir em cores de portas diferentes e fora do convencional? Para quem deseja dar um upgrade total e fazer uma reforma para deixar o ambiente moderno e descolado, pintar a porta com tons mais quentes e arrojados deixa tudo mais bonito e com uma cara nova. Se você ainda está com dúvida de qual tipo vai ficar melhor, preparamos dicas, ideias e muitas fotos� impressionantes!Cores de Portas: Ideias e mais de 40 fotos para renovar o ambiente� https://casaeconstrucao.org/decoracao/cores-de-portas/

Mais informações
small-blog

Seus vinhos sempre em estado perfeito: veja opções de adegas para sua casa.

O Brasil é um dos maiores fabricantes de vinhos do mundo, com destaque para os espumantes. E os brasileiros, de fato, sabem apreciar estas bebidas. Tanto é que muitas pessoas investem na instalação de adega comum ou adega climatizada dentro de casa.Claro que o motivo começa com a ideia de se ter um espaço mais adequado para a armazenagem de garrafas. Porém, termina com a possibilidade de se poder oferecer algo a mais nas reuniões com os amigos.Mas, e você? Sabe como somar uma adega à decoração da sua casa? O texto a seguir te dará algumas dicas e mostrará exemplos incríveis para você seguir. Confira.Modelos de adegas e os cuidados especiais com as garrafasBasicamente, existem dois modelos diferentes de adegas para vinhos e espumantes.O modelo tradicional é aquele móvel projetado em marcenaria para armazenar as garrafas. Ele pode ser independente, podendo ser transportado para áreas diferentes da casa conforme a necessidade.Também pode ser embutido em algum armário – como acontece em projetos de cozinhas e salas de jantar. Ou pode ser uma estrutura isolada, porém fixa, em alguma zona mais fresca do imóvel.O modelo mais moderno é aquele climatizado por meio de energia elétrica. Isto permite que você tenha as suas garrafas acondicionadas em temperatura adequada em qualquer zona da casa que quiser, como escritório, por exemplo. Mas as adegas climatizadas – grandes ou pequenas – ficam lindas principalmente em decorações de zonas de refeições, como varandas gourmet.Todavia, não importa qual modelo escolher, desde que funcione bem na sua finalidade. Além de ser atrativo e tornar os ambientes decorados visualmente mais aconchegantes, o design da adega escolhida precisa deixar as garrafas na posição correta – deitadas e levemente inclinadas em direção à rolha, umedecendo-a. E elas precisam deixar estes frascos sempre dentro de uma temperatura entre 12 e 24 °C.Locais dentro de casa para a instalação de adegasClaro que você não precisa ser um especialista em vinhos para encontrar o melhor local dentro de casa para armazenagem de vinhos e espumantes. Infelizmente, nem sempre será possível achar um local atmosfericamente perfeito, mas não podemos desistir.� Procure por um local dentro da sua residência onde não bata sol e que possa ter sempre uma boa umidade no ar.Se puder, guarde as suas garrafas de bebidas em uma adega no porão da casa. Mas se não tiver uma área assim no seu imóvel, talvez seja preciso então investir numa adega climatizada mesmo.� Nas lojas, você poderá encontrar dois modelos à venda: com ajuste de temperatura via sistema termoelétrico, mais potente e indicado para locais de temperatura amena; ou com compressor, para locais com temperaturas elevadas.Fonte: Blog lopes

Mais informações
small-blog

Cansados do distanciamento na Pandemia.

Cansadas do distanciamento social em apartamentos, famílias procuram descanso ou até mesmo morar em casa com pátios ou chácaras para seguir em home office e ter uma vida com mais espaço. As grandes cidades brasileiras têm concentrado o maior número de casos de coronavírus contabilizados em território nacional. Obviamente, por terem uma densidade populacional maior e por receberem um número grande de voos internacionais, as cidades grandes foram as primeiras a serem atingidas pela pandemia, e devem ser, também, as mais afetadas pela crise sanitária.A lógica do risco maior e da menor tranquilidade tem feito muitos cidadãos das capitais almejarem um estilo de vida mais calmo, e quem já tinha planos de se mudar para o interior está colocando as ideias em prática. Os portais de anúncio de imóveis mostram que os dados de buscas de propriedades no interior tem sido grande.A venda de casas e áreas próximas a cidades grandes cresceu neste período de Pandemia. Um estilo de vida novo para os filhos acostumados aos grandes centros mais com muita coisa interessante para apreender. Uma delas é o contato com a natureza.

Mais informações
small-blog

Obras em imóveis financiados: o que pode e o que não pode?

Um grande número de brasileiros recorre ao financiamento imobiliário para realizar o sonho de ter uma moradia própria. Jovens com planos de construir família, por exemplo, procuram por um bom imóvel mas, muitas vezes, não têm o capital necessário. Quem recorre a esse tipo de pagamento precisa saber das regras sobre obras em imóveis financiados, e é sobre isso que vamos explicar neste post.Saber sobre o assunto é importante para não ter a alegria transformada em prejuízo ou até mesmo na perda da moradia. A seguir, vamos mostrar o que é ou não permitido por lei quando o assunto é realizar melhorias em um imóvel que ainda está sendo pago. Acompanhe os próximos tópicos!Porque a legislação proíbe alguns tipos de obras em imóveis financiados?Apesar da grande euforia em deixar a casa com a nossa “cara”, é preciso conhecer os requisitos legais antes de iniciar qualquer modificação interna ou externa. A principal razão para o impedimento de tipos específicos de obras em um imóvel financiado é o chamado contrato de alienação fiduciária.Esse instrumento foi oficializado pela lei federal 9.514/97, que determina a posse do imóvel ao proprietário enquanto o comprador estiver quitando as prestações que compõem o valor do bem. Quando a dívida é paga, o contrato obriga o dono a entregar a moradia ao novo proprietário por meio de um documento de transferência lavrado em cartório.Nesse cenário, o imóvel financiado permanece na posse da instituição bancária até que o devedor pague a última parcela referente ao preço do bem. Por esse motivo, o futuro proprietário não pode realizar certas obras em uma moradia que, por enquanto, ainda não é efetivamente dele.Quais benfeitorias são permitidas e proibidas?É claro que existem melhorias permitidas em um imóvel financiado. Afinal, durante um período de dez ou quinze anos (média de duração dos financiamentos), a moradia se desgasta e pode apresentar alguns defeitos vindos do uso da estrutura.Antes de começar qualquer tipo de reforma, é importante contatar a instituição detentora do financiamento para confirmar sobre o que pode, ou não, ser feito no imóvel. A seguir, mostraremos o que, geralmente, é permitido e proibido nos contratos de financiamento.Intervenções permitidasSão autorizadas obras de manutenção que visam contribuir para o bom uso do imóvel. Por exemplo:troca ou reparos na estrutura do telhado;pintura das paredes;impermeabilização do teto;modernização ou correção das instalações elétricas, hidráulicas e do gás;instalação de armários;substituição de pisos, revestimentos, pias e vasos sanitários.Intervenções proibidasÉ preciso lembrar que as obras proibidas podem ser permitidas mediante um pedido de autorização feito à instituição bancária detentora do imóvel. Dentre esse tipo de intervenção, podemos citar:demolição de paredes;construção de novos ambientes;retirada de pilares de sustentação;substituição de esquadrias (sem estarem danificadas pelo uso);alteração da fachada externa.Com os exemplos citados, fica claro que não é autorizada qualquer modificação que altere a planta original ou a área total edificada do imóvel.O que precisa ser analisado antes de solicitar a autorização?Algo que precisa ser levado em consideração antes de iniciar o processo para o pedido da autorização é o motivo da obra.Em alguns casos, o futuro proprietário não tem a intenção de vender a propriedade. Já outros têm em mente valorizar o imóvel para repassá-lo por um valor mais alto do que o da compra.Para o primeiro grupo, as obras estruturais servirão para atender aos desejos da família, como o conforto ou detalhes estéticos. Por outro lado, o segundo grupo precisa pensar mais adiante, ou seja, se as alterações no imóvel atenderão as necessidades dos futuros moradores.Em algumas situações, uma alteração no design não se alinha com o perfil predominante das pessoas que buscam por uma moradia na região em que o imóvel financiado está endereçado. Se não houver essa compatibilidade, o bem será desvalorizado.Como exemplo, imagine que um futuro proprietário consiga autorização para transformar a metragem ocupada por um dos quartos em uma área de convivência com um espaço gourmet.Esse é um excelente projeto, mas o padrão das famílias que moram na região exige esse tipo de ambiente? Ou o perfil delas engloba pessoas que necessitam de mais quartos por causa dos filhos que estão em idade escolar?Com um pouco de pesquisa, é possível entender o “apelo” imobiliário da região e, assim, realizar obras que vão agregar mais valor ao imóvel.Como conseguir autorização para realizar uma obra não permitida?Mesmo quando a obra estrutural é liberada pela instituição bancária, ainda são necessárias outras autorizações:a do síndico, mediante as regras da convenção condominial, caso se aplique;e a da prefeitura do município no qual o imóvel está localizado.Antes de entrar em contato com a instituição que concedeu o financiamento (a prefeitura ou o síndico do condomínio), é necessário observar as regras impostas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).Esse órgão regulamente os procedimentos que devem ser seguidos antes, durante e após qualquer tipo de benfeitoria, não importa o tipo do imóvel (residencial ou comercial). Uma das exigências da ABNT é apresentada na Norma Brasileira (NBR) 16.280 que dita a necessidade de um dos seguintes documentos:Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) assinada por engenheiros registrados pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA);Registro de Responsabilidade Técnica (RRT) emitido por arquitetos que integrem o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU).Junto a essa documentação, a NBR 16.280 pede que o interessado em realizar uma obra anexe um cronograma detalhado com:uma descrição do tipo de serviço a ser feito;o prazo estimado para o término das reformas;uma planta com as alterações a serem realizadas;os nomes e documentos de identificação dos prestadores de serviços que farão as benfeitorias.Embora possa ser um pouco trabalhoso, seguir esses procedimentos oficiais é a melhor maneira de não perder dinheiro e o imóvel.Como você viu, as obras em imóveis financiados exigem um processo bem estudado. Porém, mesmo que tenha de esperar um pouco e precise quitar o financiamento, o novo proprietário terá um imóvel próprio. Quando isso acontecer, será o momento de realizar novos projetos e sonhos.O que achou do artigo? Entendeu o que é permitido ou não nas obras em imóveis financiados?Fonte: https://blog.movingimoveis.com.br

Mais informações
small-blog

SOFÁ, ele merece atenção especial!

Como grande protagonista da casa, a sala de estar merece muita atenção no momento da decor. É nela onde se recebe as visitas, como familiares e amigos, e é onde você deve causar a famosa primeira boa impressão, uma boa dica, é transmitir a sua personalidade neste espaço para deixá-lo aconchegante e com a sua cara.O sofá é com certeza o principal item de uma sala de estar, porém, decidir qual modelo de sofá para sala comprar  é sempre um dilema, visto a variedade de tamanhos, cores e modelos que existem. É por isso que os arquitetos e designers de interiores se preocupam tanto em fazer uma boa escolha, nessa hora. Afinal, o modelo certo tem que ser bonito e confortável para as pessoas que habitam o imóvel; e ainda atender a proposta estética feita para o espaço.O importante é saber identificar, dentre as opções que existem no mercado – principalmente aquelas que “cabem no bolso” -, o que melhor se adequa ao ambiente.Uma sala íntima até pode combinar com um sofá mais fofo e cheio de almofadas. Mas, uma sala social pede um estofado bastante espaçoso, capaz de abrigar todos os visitantes; menos denso; e com o mínimo de acessórios. Pode ser que, dependendo do caso, o melhor seja adquirir uma peça de cores neutras, linhas retas e pés finos. Ou, quem sabe, uma peça de tons vibrantes, bordas sinuosas e sem pés visíveis.Antes de sair para comprar, é importante a pessoa medir o espaço livre disponível que se tem na sala e que pode ser reservado para o sofá.Com todas as opções que que o mercado apresenta, uma delas servira de inspiração para fazer a sua escolha.

Mais informações
small-blog

Código QR Code

Em uma era de transformação digital, um importante passo é adotar tecnologia de ponta para melhor atender você cliente com agilidade e eficiência.Provavelmente você já deve ter ouvido falar do QR Code. Código QR (sigla do inglês Quick Response) é um código de barras bidimensional que pode ser facilmente escaneado usando a maioria dos telefones celulares equipados com câmera.Pequenos códigos que armazenam informações sobre o imóvel que você deseja lidos por dispositivos. Aponte sua câmera para o código QR Code e aproveite mais essa inovação digital.

Mais informações
small-blog

Dica, 6 dicas para ensinar crianças a gastar, poupar e investir!

Muitos pais não gostam de falar de dinheiro com os filhos, achando que isso poderia torna-los pessoas avarentas ou materialistas demais. Mas, com isso, acabam deixando de mostrar a importância de se ter uma reserva para emergências e para a velhice ou de controlar os gastos e seus próprios impulsos. Por isso, especialistas recomendam que os pais comecem cedo a mostrar aos filhos a importância de saber como lidar com o dinheiro, mesmo que ele não seja a coisa mais importante da vida.Algumas dicas para as famílias conversarem sobre orçamento e dinheiro.  1) Um bem escassoUma boa estratégia para orientar os filhos pequenos, quando o assunto é lidar com dinheiro e aprender a poupar, é ensinar desde cedo que se trata de um item escasso, e que escolhas precisam ser feitas com cuidado, pois cada uma delas, uma vez feitas, terá consequências e ramificações. Nesse sentido, não basta dar dinheiro eventual ou mesada à criança, sendo necessário guiá-la sobre suas opções.2) Aprendendo a importância do autocontrole e das escolhasO exemplo simples, de um casal que esteja em passeio num shopping center com o filho e, nesse momento, decida liberar para ele a “semanada”.“Ao ver a loja de doces, a primeira reação da criança geralmente é a de gastar tudo com as guloseimas. Portanto, antes de ele fazer essa escolha, é importante mostrar que tem opções”. No caso, uma alternativa seria, no lugar de gastar de uma vez tudo o que ganhou, reservar uma parte para, mais adiante, poder comprar um brinquedo ou outra coisa mais cara em que ela tenha demonstrado interesse.“É importante que os pais esclareçam, desde cedo, que existem opções, e que o dinheiro guardado no futuro pode ajudá-lo a alcançar objetivos ou sonhos de consumo mais caros”. “Com isso, ajudamos a desenvolver o autocontrole e demonstramos que há recompensa para quem se planeja.”3) Orientação precisa ser simples e pode começar desde cedoA partir de três ou quatro anos de idade já se pode começar a orientar nesse sentido. E, segundo ela, “principalmente através de nossos exemplos”  explicar que se está economizando para outras coisas. “O cuidado a ser tomado é que as explicações precisam ser simples, conforme o entendimento da criança”, diz, lembrando que considerações muito elaboradas nesse momento dificilmente serão absorvidas.4) Exemplo e prática familiar são fundamentaisOutro item importante, “é vivermos o que ensinamos”. Ou seja, para melhor ensinar aos filhos o equilíbrio financeiro, também será preciso praticá-lo nas finanças familiares.A linguagem do exemplo e da prática é fator decisivo para que a orientação seja bem sucedida. “Ela é a mais poderosa que temos para influenciar nossos filhos; por meio de nossas decisões e hábitos financeiros é que podemos ensinar muito a eles”, orienta.5) Aprendendo a investir: poupança pode ser primeiro passoAntes de investir com foco na criança ou orientá-la sobre o tema,  primeiramente os pais ou responsáveis precisarão saber qual é o objetivo, o sonho que se pretende alcançar com essas economias.“Se é a criança que será a investidora, sob a tutela dos pais, começar com um produto simples, como poupança, pode ser uma opção”, destaca, lembrando que a caderneta de poupança ensina que existe uma remuneração ao longo do tempo, ou seja, uma recompensa por se estar guardando para o seu objetivo. O intuito, nesse caso, seria mais educacional, para ensinar bons hábitos financeiros (economizar periodicamente) do que de rentabilização.6) Foco se amplia com noções de diversificação, rentabilidade e riscoSe o principal objetivo é o de educar, ao passo que a criança cresce, pode-se ir apresentando outros tipos de investimentos, conforme o entendimento dela for se ampliando. Eles podem ser feitos com pequenas quantias, em produtos como Tesouro Direto, Ações, ETFs, Previdência, etc. “O foco, neste momento, seria mostrar que diferentes produtos podem ter diferentes rentabilidades, mas também riscos a serem considerados.” Dica CasaCentro Imóveis.

Mais informações
small-blog

DESVANTAGENS DE VENDER SEU IMÓVEL POR CONTA PRÓPRIA

Desvantagens de vender seu imóvel por conta própria Vamos tratar de um assunto muito polêmico, você proprietário do imóvel deve ou não colocar a sua placa no imóvel com seu telefone?Frequentemente a mídia expõe casos de imóveis que viraram alvos de criminosos que se passaram por clientes, esses casos foram impulsionados pelo seu contato exposto na fachada do seu apartamento, na fachado do seu imóvel.Nós não indicamos nem a colocação de placas imobiliárias em imóveis que estejam habitados prevalecendo assim a segurança da sua família.Outro fator é que uma assessoria imobiliária possibilita detectar pendências judiciais que poderiam comprometer seu imóvel.A pesquisa cadastral do vendedor pra quem pretende fazer financiamento bancário para comprar é muito necessária.E em casos de má fé frequentemente nos deparamos com vendas não realizadas e que chegam a ter que acionar juridicamente, ou seja o famoso “ GOLPE “ .Outro fator importante é o cliente que vê a sua placa e vai diretamente falar com você, ele não tem o conhecimento dos valores praticados na região, não conhece a área do seu imóvel, as características do mesmo. Ele pode adentrar o seu imóvel apenas por curiosidade. Na sua intimidade.Nos quando levamos o cliente no seu imóvel, ele já vai ter conhecimento da disposição, posição solar, da área útil e área total, do valor, das possibilidades de financiamento, isso proporciona a agilidade da venda. E vamos ressaltar, placas é só mais uma ferramenta de divulgação, você assessorado por uma imobiliária todos os outros meios de divulgação são utilizados. Assim aumenta as probabilidades de negociações.

Mais informações
small-blog

INVISTA NO TIJOLO APARENTE - DECORAÇÃO RÚSTICA, URBANA OU CONTEMPORÂNEA

Não é de hoje que os tijolos à vista são utilizados para realçar a decoração dos ambientes. A referência destes em projetos de áreas externas e na composição de lofts sempre esteve em alta, porém, devido ao toque de personalidade e versatilidade que proporcionam, vêm trazendo cada vez mais charme no décor das casas.Rústica, urbana ou contemporânea, a parede de tijolinhos muda qualquer ambiente sem dar a dor de cabeça de uma reforma. Além disso, são várias as propostas do design da parede: desde com as cores naturais do bloco cerâmico ou até mesmo pintadas de diferentes cores, sendo facilmente incorporada a qualquer estilo de decoração. Além de atribuir personalidade e originalidade ao ambiente, o tijolo aparente tem como principais vantagens a durabilidade, o conforto térmico e o acústico. Ademais, a atemporalidade, por nunca sair das tendências, e o baixo custo de investimento são fatores diferenciais do material.

Mais informações
small-blog

Qual é a diferença entre a Tabela Price e a SAC?

Ao optar por um financiamento imobiliário, o comprador do imóvel pode escolher entre a amortização pela Tabela Price ou pela Tabela SAC (Sistema de Amortização Constante). São essas duas formas que definem como a dívida da propriedade será paga ao banco.Como vimos, na Tabela Price as parcelas são iguais do início ao fim da amortização. Em contrapartida, na tabela SAC, o valor da amortização do empréstimo é o mesmo: há uma alteração somente no valor dos juros — que vai diminuindo ao longo do tempo.Dessa forma, a tabela SAC permite uma redução no preço das parcelas durante o tempo do financiamento. É feita uma amortização constante, como o próprio nome já diz, porém com um valor de prestação decrescente.As duas opções é a diminuição dos juros durante o período do contrato, uma vez que a dívida do patrimônio também cai ao longo do tempo. Resumindo, pelo método da tabela SAC, a parcela tende a ser reduzida por conta da queda dos juros. Já na Tabela Price, as prestações são constantes mesmo com a igual redução da taxa.Por fim, é importante levar em consideração todo o seu planejamento financeiro antes de solicitar um financiamento de imóvel. Para não ter problemas ou se encher de dívidas, você deve ter consciência das suas finanças e da renda mensal, independentemente do sistema de amortização escolhido. Gostou de saber um pouco mais sobre o funcionamento da Tabela Price e da Tabela Sac? e como é feito o cálculo do financiamento por esse método? Então, compartilhe nosso conteúdo nas redes sociais e faça com que mais pessoas tenham conhecimento sobre o assunto!

Mais informações
small-blog

Esclareça suas dúvidas, sobre Averbação de Imóveis!

Proteja e valorize o seu imóvel! Você sabia que sempre que você comprar, alugar ou realizar modificações na propriedade é preciso fazer uma averbação de imóvel? Muitas pessoas não entendem esse conceito. Por isso, vamos tirar suas principais dúvidas sobre esse assunto. Com esse conteúdo, você vai entender o que é a averbação de imóveis, qual a sua finalidade e como ela funciona. Além disso, vamos explicar onde ela deve ser feita e qual a documentação necessária. Como existem muitas dúvidas conceituais, falaremos ainda sobre a diferença entre o registro e a averbação. Por fim, vamos listar três dos principais motivos para realizar a averbação. Continue lendo e aprenda tudo sobre isso!  O que é averbação de imóvel? É o procedimento, feito em cartório, para anotar no registro do imóvel todas as modificações que foram feitas nele. O objetivo da averbação é deixar registrado o histórico de alterações que a propriedade sofreu. Dessa maneira, essa ficha se torna pública e oficializada. Sendo assim, modificações, como construções, reformas, desmembramentos, retificação de áreas, hipotecas, alienação fiduciária, fusões, penhoras, entre outras, devem ser averbadas. Da mesma forma, a transferência de proprietários também precisa constar no registro do bem. Logo, se houver casamento ou divórcio, venda ou aluguel de um empreendimento, é necessário iniciar esse processo. Também são anotadas ônus reais, dívidas ou encargos, em caso de atraso de pagamento de parcelas ou inadimplência no financiamento de um bem. Se uma modificação for feita no imóvel e não for averbada, ela não terá validade jurídica. Por exemplo, se um imóvel for adquirido e, alguns anos depois, o proprietário construir e não fizer a averbação, ele terá dificuldades para vender esse bem. Precisará passar por todo o processo, registrar as alterações de maneira completa e, só então, realizar a transferência \ transmissão. A partir do momento da transmissão, o imóvel, os direitos reais que incidem, assim como o nome do proprietário serão de conhecimento de todos, permitindo que qualquer pessoa possa requerer uma certidão imobiliária. Objetiva a proteção de possíveis direitos de terceiros, dando segurança de que os dados constantes dos registros públicos refletem a realidade atual quanto ás pessoas e ao referido bem. Quero averbar!Como averbar um imóvel? Esse procedimento precisa ser feito por um tabelião no Cartório de Registro de Imóveis. Caso o município tenha mais de um cartório, a averbação deve acontecer naquele onde o bem foi registrado. Será solicitada uma série de documentos, que podem variar de acordo com o tipo de modificação, bem como o custo desse procedimento. Por exemplo, se o proprietário se casou, precisará apresentar a certidão de casamento. Por outro lado, se tiver construído uma nova edificação, será necessário apresentar o projeto arquitetônico aprovado pela prefeitura. Entretanto, podemos citar alguns documentos que geralmente são solicitados em construções e reformas. Um deles é o requerimento do interessado, que deve ser entregue no Cartório de Registro de Imóveis, com firma reconhecida. Deve-se apresentar também o Habite-se e a Certidão de Conclusão de Obra, documentos expedidos pela prefeitura da cidade, certificando que a construção foi concluída, informando sua área e autorizando o seu uso ou moradia. Fora isso, em casos de construções ou ampliações acima de 70m2, é preciso que o INSS emita a Certidão Negativa de Débitos (CND). Assim torna-o inconfundível com qualquer outra unidade. Para isto exige-se a plena e perfeita identificação do imóvel nos documentos apresentados para que seja suficientemente exaustiva e que se possa distingui-los dos demais. Qual a diferença entre registro e averbação? O registro de imóveis é a ação de anotar na matrícula do imóvel a transferência de propriedade. Para isso, é preciso apresentar a escritura, ou seja, o documento que oficializa a compra e a venda do bem. Já a averbação é o procedimento de anotar na matrícula, existente no Cartório de Registro de Imóveis, qualquer alteração ocorrida no imóvel ou na condição dos titulares dele. Por exemplo, quando um terreno é parcelado, cada lote criado recebe uma matrícula, isto é, um número e uma ficha cadastral. Ela serve para reconhecer o imóvel juridicamente. No ato da venda do bem, é preciso fazer o registro, informando quem é o novo proprietário. Por fim, se uma reforma é realizada, ela deve ser averbada. O registro só será viável quando constar informações que coincidam perfeitamente com aquelas constantes da respectiva matrícula sobre as pessoas e o bem mencionados. Busca-se a continuidade ininterrupta das titularidades jurídicas de uma unidade. Portanto não poderá alienar ou gravar de ônus aquele que não figurar como proprietário do imóvel no registro. Um exemplo prático, se acontecer de uma pessoa comprar o imóvel que pertencia a uma outra e logo em sequência o vende para o terceiro. Ao configurar esta hipótese e as partes envolvidas optarem por diversos fatores como redução das despesas cartorárias, taxas imobiliárias e impostos por efetuar o registro apenas da última operação, sem qualquer participação do verdadeiro proprietário do imóvel, ou seja aquele que consta no registro como dono da unidade pelo princípio da continuidade, nenhum registro pode ser realizado sem o devido registro do título anterior, portanto todas as transferências precisam ser registradas.  Comprador e vendedor O registro é de interesse de todos os envolvidos, comprador e vendedor. Para o vendedor, retira sua responsabilidade de todos os débitos e impostos que decorrerem da manutenção do imóvel. Para o comprador, o documento é o único responsável por resguardar seus direitos de posse e propriedade. Seu bem,  sua família!Toda vez que acontecer alguma alteração que afete de alguma forma a propriedade, é preciso voltar ao cartório para que o registro seja atualizado. Se você fazer a averbação de forma correta, seu imóvel terá um histórico onde você pode encontrar todas as mudanças já realizada, assim é possível constatar quem é o atual proprietário, se o imóvel está sendo financiado, as verdadeiras condições do imóvel, entre outras. Registro de Imóveis: segurança jurídica e proteção da propriedade em seu benefício.

Mais informações
small-blog

IMPOSTO DE RENDA, posso declarar valor do imóvel atualizado?

Saiba quais são os gastos que podem ser incorporados na declaração.Na declaração do Imposto de Renda não é permitida atualizar o preço do imóvel pelo valor de mercado. Deve ser mantido o valor original e que foi pago no ano vigente.De forma equivocada, algumas pessoas declaram o valor do imóvel atualizado afim de uma redução na contribuição do lucro imobiliário em uma futura venda."Como a Receita Federal do Brasil não permite que o custo de aquisição dos imóveis seja ajustado a valor de mercado na declaração, uma boa estratégia para aumentar o valor de aquisição do imóvel é acrescentar ao seu custo os gastos oriundos de benfeitorias e reformas".No que se refere à compra do imóvel é permitido acrescentar a este valor os possíveis gastos como corretagens, despesas com a escritura, custas, taxas de impostos e tributos relativos à transferência do bem.Despesas com a construção, reformas e benfeitorias também podem ser incorporados na declaração do Imposto de Renda, mas é preciso ter as devidas notas e comprovantes."Podem ser incorporados gastos com reforma, construção, ampliação e pequenas obras, como pintura, encanamento e reparos em pisos e paredes. Todas as despesas devem ser passíveis de comprovação, por meio de recibos e notas fiscais com os devidos CPFs e CNPJs dos vendedores ou prestadores de serviço. As benfeitorias incluem tanto despesas com materiais de construção como gastos com mão de obra"Caso não seja realizada nenhuma reforma e o contribuinte colocar o valor do imóvel atualizado de mercado este poderá cair na malha fina e terá que se explicar para a Receita Federal. Fonte: Alexandre Prado

Mais informações
small-blog

Ajudamos você com seu Financiamento Habitacional

O Primeiro passo quando se pensa em Financiar um Imóvel é a SIMULAÇÃO!Uma Simulação correta lhe ajudará muito no seu processo de Escolha do Imóvel.Buscar um profissional Capacitado é a sua Melhor opção. Aos Corretores autônomos,Ajudamos você com os financiamentos de seus Clientes.AGILIDADE, COMPETÊNCIA, EXPERIÊNCIA.Quer um imóvel Novo?Procura um imóvel usado?Vai comprar um imóvel retomado?Já tem imóvel no seu nome e quer fazer outro financiamento?Fale conosco!Page: https://www.facebook.com/ccacasacentro/CasaCentro Imóveis tem Correspondente Caixa Aqui!  

Mais informações
small-blog

ESPAÇOS GOURMET SÃO IDEAIS PARA RECEBER AMIGOS

Reunir amigos ou familiares em um ambiente bem agradável e equipado é tão importante quanto o próprio cardápio. Por isso, os espaços gourmet estão cada vez mais populares."A área de preparação dos alimentos nesses locais é maior e mais prática do que em um cômodo normal".  Diferentemente de uma cozinha comum, por exemplo, o espaço gourmet não é considerado um local de serviço e, sim, de lazer.Como os cômodos dos apartamentos são menores, a utilização de espaços gourmet é uma boa. Além disto, um mobiliário feito sob medida, segundo o especialista, pode render um bom aproveitamento do tamanho do local. As instalações normalmente contam com fogão, bancadas, cadeiras, churrasqueira e frigobar. Aproveite e reúna os amigos!"

Mais informações
small-blog

Terceira idade migra para apartamentos mais compactos

Imóvel prático, compacto, bem localizado, acessível e com lazer. Esta é a moradia dos sonhos de boa parte das pessoas na terceira idade nos tempos atuais. De acordo com especialistas, a tendência é migrar dos apartamentos de três e quatro quartos para os democráticos dois quartos.Os idosos, depois de criar os filhos, a procura é por mais praticidade. “Os idosos buscam unidades mais práticas há um bom tempo. Assim, é possível dispensar uma empregada doméstica e a sensação de ninho vazio é reduzida”.Segundo especialistas as unidades com áreas de lazer com espaços adequados para idosos saem na frente. “Há edifícios com espaços para banho de sol e área de lazer acessível. Além disso, este público tem filhos e netos para receber em seu lar, o que faz necessário um espaço extra e opções que agradem a todos” os apartamentos de dois quartos como os mais adequados. “A principal vantagem desses empreendimentos é a funcionalidade. Para idosos, então, é ainda melhor. O segundo quarto pode virar um escritório, quarto de visitas e até mesmo um quarto para os netos e os filhos. Prédios com lojas no térreo fazem com que o morador não precise ir muito longe para ter acesso a vários serviços”.

Mais informações
small-blog

MORAR PERTO DO TRABALHO ECONOMIZA E GANHA TEMPO DE 2H A 4H DIÁRIAS

"Morar perto da onde trabalha, ou trabalhar perto da onde mora: esse é um passo muito importante rumo a qualidade de vida nas grandes metrópoles. Todo mundo já sabe que o trânsito é o principal fator de estresse em cidades grandes.Uma solução é arrumar um trabalho perto da sua residência. Ou quem sabe se mudar para perto do trabalho. Ao fazer isso, você pode economizar de duas a quatro horas diárias, que poderá usar para fazer outras atividades mais prazerosas do que ficar preso no trânsito.Se você está procurando emprego ou está em busca de uma recolocação, não deixe de pensar nessa variável na hora de aceitar a vaga. Veja se o itinerário casa-trabalho não é muito cansativo e se vai consumir mais do que duas horas diárias do seu tempo. Especialistas advertem: se você for gastar mais de 3 horas do seu dia apenas para se locomover, é bom repensar. O ideal é que você gaste menos de duas horas e possa fazer trajetos alternativos, como ir de bike, transporte público ou até mesmo a pé. Se o lugar for longe, avalie se as condições para chegar são boas. Às vezes vale a pena, se p seu trajeto for tranquilo. Todos esses fatores são motivos de estresse e perda de qualidade de vida. Num primeiro momento, na hora de aceitar um trabalho, pode parecer que são irrelevantes, mas a longo prazo, acredite, farão toda a diferença."

Mais informações
small-blog

No caso de herança, se um dos herdeiros não quiser vender o imóvel. O que fazer?

É muito frequente a discordância entre herdeiros quando se trata da venda do imóvel herdado em comum. O problema pode ser em relação ao preço da venda ou até mesmo a resistência de um herdeiro em vender o imóvel.Em regra, os herdeiros tem o direito de dividir a herança. Estes herdeiros estão estabelecidos em lei, de acordo com a cadeia de sucessão ou de acordo com aqueles informados em inventário.É necessário que se faça um inventário para dividir os bens deixados, não sendo possível a divisão de bens sem a realização desse procedimento. Nada pode ser vendido ou dividido enquanto não for finalizado todo o processo de inventário, exceto em situações específicas e previamente autorizadas pelo juiz.Mas, como proceder quando um ou mais herdeiros se recusam a vender o imóvel?Neste caso, quando não há acordo, o interessado na venda deve notificar o herdeiro que se recusa a vendê-lo e informa-lo sobre a intenção de venda do imóvel. Caso não haja manifestação no prazo concedido, será necessário ingressar com uma ação judicial.Esta ação judicial é a extinção de condomínio, que é um meio legal que possibilita a venda forçada de imóveis indivisíveis, quando a propriedade destes é exercida por duas ou mais pessoas, e, dentre elas, deixa de existir a vontade de manter a propriedade em comum.O Código Civil trata da extinção de condomínio no artigo 1.322, que dispõe:“Art. 1.322. Quando a coisa for indivisível, e os consortes não quiserem adjudicá-la a um só, indenizando os outros, será vendida e repartido o apurado, preferindo-se, na venda, em condições iguais de oferta, o condômino ao estranho, e entre os condôminos aquele que tiver na coisa benfeitorias mais valiosas, e, não as havendo, o de quinhão maior”.De acordo com este artigo, os herdeiros têm preferência para comprar as partes dos demais. Caso não haja nenhum interesse, o imóvel poderá ser leiloado. Assim que vendido o imóvel, será feita então a divisão do valor da venda entre os herdeiros.Destaca-se que existe apenas uma exceção aplicável neste caso: quando um dos herdeiros for cônjuge do falecido. Isso porque, o cônjuge sobrevivente tem o direito real de habitação no imóvel destinado à moradia da família, independente do regime do casamento, não podendo os demais herdeiros vendê-lo ou alugá-lo a terceiros. Enfim, é necessário ter em mente que no caso de discordância na venda do imóvel, um acordo entre os envolvidos é o mais indicado, pois os processos judiciais sempre tem custo, além da demora e, ao final, independente da resistência oferecida, o imóvel será vendido de qualquer forma, se essa for a vontade de um ou mais herdeiros.

Mais informações
small-blog

Razões para você Viver em Santa Maria RS – Theatro Treze de Maio & Informações

Theatro Treze de Maio é tombado como Patrimônio Histórico e Cultural de Santa Maria, conhecido por ser uma das melhores casas de espetáculo do país, o Theatro Treze de Maio viveu um momento emblemático quando um decreto do Executivo autorizou seu tombamento como Patrimônio Histórico e Cultural de Santa Maria. Mais de um século depois de ser erguida, a edificação recebeu a garantia de que a história será preservada em memória e materialidade. Confira alguns detalhes que compõem a edificação tombada O imponente prédio com traços neoclássicos, construído em frente à Praça Saldanha Marinho, entra para o seleto grupo de edificações tombadas pelo do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural (Comphic), órgão que é responsável pela preservação e manutenção da identidade arquitetônica de Santa Maria, como a Catedral Metropolitana, a SUCV, sede da prefeitura, o Colégio Manoel Ribas, entre outros locais.O tombamento significa que o prédio deverá conservar sua originalidade e não poderá sofrer nenhuma intervenção arquitetônica ou outra obra que o descaracterize mais do que garantir a estrutura histórica, o ato do tombamento também tem um valor simbólico:  Este reconhecimento desperta nos cidadãos a importância do que é patrimônio e preservação. São esses testemunhos da nossa história que nos dão identidade enquanto povo. O tombamento garante a conservação da volumetria original e elementos decorativos e arquitetônico das fachadas, como janelas, luminárias e escadarias. Contudo, não entraram no projeto de tombamento a cobertura do prédio, o piso e quaisquer alterações na construção que descaracterizaram a construção original. A atual cor da fachada, por exemplo, não segue o tom da primeira pintura no prédio.Os desafios da preservação   Fundado em 1890, quando a jovem Santa Maria ainda tinha 32 anos, o Theatro Treze de Maio foi construído da união de esforços de uma sociedade  que almejava um espaço dedicado à arte e à cultura. Nas instalações do Treze, já funcionaram a biblioteca pública, um centro cultural, redação de jornal, foro da cidade e sede do aeroclube de Santa Maria. O nome foi escolhido em homenagem à abolição da escravatura no Brasil, assinada pela princesa Isabel, em 1888.O Theatro Treze de Maio - o tombamento resguardará a história e a memória coletiva do município:Foi um espaço sempre atuante, que representa uma série de usos culturais. A cidade assegura, com a preservação do prédio, uma referência visual, já que o Theatro Treze de Maio é um marco insubstituível para a paisagem urbana da nossa cidade.Os atores, músicos, bailarinos, cenotécnicos e produtores encontram neste espaço um lugar para mostrar o seu trabalho e a sua arte. Vidas que são dedicadas a propagar cultura e a contribuir para a formação de um mundo mais sensível. Compreender essa chama de vida, esse ideal, o amor pela arte, é o primeiro passo para entender o dia a dia de quem faz parte deste universo e a importância deste espaço cênico para Santa Maria e região central do Rio Grande do Sul. Theatro Treze de Maio um orgulho pra nós moradores dessa maravilhosa cidade.

Mais informações
small-blog

Razões para você Viver em Santa Maria RS – Cidade de interesse MILITAR & Informações

É uma cidade universitária e de grande importância para a região central do estado. É guarnição normal. Custo de vida: médio. Encontra-se de tudo!Mercados: Tem o Big, Carrefour, Nacional, o Maxx, Rede Super, Rede Vivo, enfim, vários supermercados.Rodoviária / Aeroporto: Excelente.Aluguel: médio (média de 600 a 1000 reais um apartamento com 2 dormitórios), nos bairros Pinheiro Machado, Residencial LOpes, T. Neves, Santa Marta etc são os mais procurados.Compra de imóveis: Tem diversidade de imóveis que variam a partir de R$ 100mil reais , vários condomínios com portarias 24h e entretenimentos para os filhos ao redor dos quarteis, diversas oportunidades durante o trabalho na cidade. Financiamento para militares facilitado e condições especiais diretamente financiadas nas imobiliárias em parceria com construtoras para imóveis na planta. A CasaCentro Imóveis oferece atendimento para militares. Bairros mais procurados: Centro, Nossa senhora de Lourdes, Dores e Medianeira, Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora do Rosário, Patronato, entre outros.Saúde:O HGu e o Hospital da Brigada entre outros. Temos Unimed, Hospital de Caridade etc, Educação: Tem muitas escolas, para todos os bolsos e é uma cidade universitária. Tem Colégio Militar, é um dos melhores e fica no bairro Juscelino Kubitschek. Ensino Superior: tem a Federal (UFSM) e particulares (UNIFRA, ULBRA, etc) entre outras muitas elogios quanto a esse quesito na região, é umas das maiores (se não a maior) cidade universitária do estado. Lazer: Para aqueles que gostam de sair, aqui tem muitas boates de segunda a segunda e bares ótimos. Tem alguns clubes. No quesito shopping  há sim 3 shoppings, mas também tem o centro com várias lojas. Temos muitos Pub's, Casa de Show, Restaurantes de diversas etnias, Comida Japonesa e Chinesa, Restaurantes tradicionais etc Sem contar o famoso Calçadão onde estudantes das diversas partes do Brasil e Países se reunem com as suas diversas culturas. Hotel de Trânsito: o Hotel de Trânsito da 3ª DE, misto, com 9 apartamentos e 14 suítes. E o HT do DSSM também misto e com 2 apartamentos.   Quarteis: Boi Morto: 1º RCC, 4º BLog, 6º EsdqCMec, 29º BIB, CISM, CIBld; Centro: 3ª Cia Com Bld, 3ª DelSM/10ª CSM, 6ª Bda Inf Bld, 26º PelPE, 3ª DE, DSSM; Juscelino Kubitschek: PqRMnt/3; Passo da Areia: 3º GAC / AP, HGuSM; Perpétuo Socorro: 6ª BIA A AAE. Um orgulho pra nós moradores dessa maravilhosa cidade.

Mais informações
small-blog

MITOS E VERDADES SOBRE O PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA.

Mitos e verdades no financiamento habitacional pela CaixaPessoas que nunca fizeram um financiamento habitacional pela Caixa talvez não tenha ciência de alguns pormenores sobre o processo de financiar uma casa e o que é de fato verdade ou mito em relação aos comentários que se houve por ai. Como eu passei por três processos de financiamento recentemente, sendo 1 para compra e dois para venda, creio que posso dar algumas dicas e afirmar algumas verdades e desvendar alguns mitos, como pode ser visto nos itens abaixo.As prestações são decrescentes (verdade)Sim, isto é verdade e é uma característica importante deste tipo de financiamento que inicia com uma prestação de maior valor e mês a mês tem um pequena redução, chegando no seu final com um valor bem baixo, menos da metade do valor da primeira prestação. Isto acontece pois a cada prestação que você paga uma parte do saldo devedor é amortizada e por isso você passa a dever menos e consequentemente menor incidência de juros.Qualquer pessoa pode financiar uma casa pela Caixa (mito)Infelizmente muitas pessoas são privadas de financiar uma casa por algumas razões. A primeira delas é que a Caixa não financia 100% do valor do imóvel, então você precisa ter pelo menos uns 10% do valor para a entrada e muitas pessoas não tem. Depois existe também a avaliação do comprador, caso este tenham problemas com restrições de créditos, problemas de ordem fiscal com a Receita Federal, por exemplo, terá problemas na aprovação de seu cadastro.Qualquer imóvel pode ser financiado (mito)Outro mito, já que o imóvel a ser financiado é avaliado pelo menos de duas formas: a parte documental e o imóvel sem si. Se houver problemas de documentação, como irregularidades, falta de registros e outros não poderá ser aprovado. Também o imóvel precisa oferecer condições de financiamento, pois um engenheiro da Caixa irá até o local avaliar se ele pode ou não servir de garantia para o financiamento.A Caixa é a melhor alternativa para financiamento habitacional (verdade)A Caixa atualmente oferece as melhores taxas de juros e as melhores condições em relação a outros bancos. É o banco oficial do governo para financiamento habitacional e por isso é difícil encontrar proposta melhor em outros bancos, mas não impossível, já que dependo da relação que você tenho com outros bancos, poderá obter bons negócios também. Aqui a dica é pegar uma proposta no seu banco e comparar com a Caixa e optar pela melhor.Pessoas com baixa renda tem a prestação do financiamento reduzida (verdade)Sim. Hoje o Programa Minha Casa Minha Vida tem taxas de juros bem mais baixas para pessoas de baixa renda e ainda oferece subsídio para muitos casos. Tudo isso tende a derrubar o valor da prestação do montante financiado.A aprovação do financiamento é rápida e sem burocracia (mito) Eu ouvi muitos afirmarem que é rápido e bem tranquilo, mas na verdade não é bem assim. O prazo varia de caso para caso, mas dificilmente sai a aprovação com menos de 30 dias. Teve um dos financiamentos que levou alguns meses para ser aprovado. Quanto a burocracia ela existe sim e se houver qualquer problema de documentação, quer seja do vendedor, comprador ou do imóvel, o processo pode ficar parado até a resolução do problema.

Mais informações
small-blog

QUANDO É POSSÍVEL SACAR O SEU FGTS.

Diversas são as situações em que o FGTS pode ser sacado: Suspensão do Contrato de Trabalho Avulso, Término do Contrato por Prazo Determinado, Rescisão de Contrato por Culpa Recíproca, Rescisão Indireta, Rescisão do Contrato por Extinção Total ou Parcial da Empresa, Estágio terminal, Portadores de Neoplasia Maligna ou HIV, Conta Inativa, Saque aniversário, Saque aniversário como garantia de empréstimo e principalmente para adquirir o seu imóvel utilizando seu FGTS.Neste caso, uma das situações mais comuns é para adquirir um imóvel. É importante ter muita atenção na hora de utilizá-lo para esse fim, pois existem algumas regras para o processo.O primeiro ponto é que o FGTS não pode ser usado para investimento como a compra de um imóvel comercial, ou seja, só pode ser utilizado para compra de uma moradia. Regras para o uso Quem pretende utilizar o FGTS não pode ter financiamento ativo no SFH (Sistema Financeiro de Habitação), em nenhum lugar do Brasil. Quando decidir o município que irá residir (caso trabalhe e resida em municípios diferentes), não pode ser proprietário de nenhum imóvel residencial no município.Trabalhar ou residir no município (ou região metropolitana) em que o imóvel a ser comprado se encontra. O imóvel é destinado à moradia do trabalhador, logo, deve ser residencial e urbano. Não é permitido usar o fundo quando o imóvel já foi financiado (mesmo que por outra pessoa) nos últimos três anos.O valor máximo do imóvel deve ser de R$ 850 mil ( Santa Maria RS ). A pessoa que for usar o FGTS para financiar algum imóvel, deverá possuir, no mínimo, três anos de carteira assinada, não precisando ser anos contínuos. OBS: você pode utilizar o seu FGTS para pagar um imóvel á vista a chamada compra direta com FGTS com quitação parcial( dinheiro + FGTS) ou total. Também não é permitido usá-lo para regularização de parcelas atrasadas de um financiamento imobiliário, por meio de um banco. Aproveite e sempre que puder consulte o seu FGTS para ver suas atualizações e checar se o empregador ou o tomador de serviços fez o depósito na conta vinculada ao FGTS do trabalhador. O depósito pode ser feito até o dia 7 de cada mês. O FGTS não é descontado do salário do trabalhador. Quem deve depositar é o empregador. Se você gostou deste informativo compartilhe e curta o nosso BLOG. Site: casacentroimoveis.com.br Neste caso, uma das situações mais comuns é para adquirir um imóvel. É importante ter muita atenção na hora de utilizá-lo para esse fim, pois existem algumas regras para o processo. O primeiro ponto é que o FGTS não pode ser usado para investimento como a compra de um imóvel comercial, ou seja, só pode ser utilizado para compra de uma moradia. Regras para o usoQuem pretende utilizar o FGTS não pode ter financiamento ativo no SFH (Sistema Financeiro de Habitação), em nenhum lugar do Brasil.Trabalhar ou residir no município (ou região metropolitana) em que o imóvel a ser comprado se encontra.Quando decidir o município que irá residir (caso trabalhe e resida em municípios diferentes), não pode ser proprietário de nenhum imóvel residencial no município.O imóvel é destinado à moradia do trabalhador, logo, deve ser residencial e urbano.O valor máximo do imóvel deve ser de R$ 850 mil ( Santa Maria RS ).A pessoa que for usar o FGTS para financiar algum imóvel, deverá possuir, no mínimo, três anos de carteira assinada, não precisando ser anos contínuos.Não é permitido usar o fundo quando o imóvel já foi financiado (mesmo que por outra pessoa) nos últimos três anos.Também não é permitido usá-lo para regularização de parcelas atrasadas de um financiamento imobiliário, por meio de um banco. OBS: você pode utilizar o seu FGTS para pagar um imóvel á vista a chamada compra direta com FGTS com quitação parcial( dinheiro + FGTS) ou total. Aproveite e sempre que puder consulte o seu FGTS para ver suas atualizações e checar se o empregador ou o tomador de serviços fez o depósito na conta vinculada ao FGTS do trabalhador. O depósito pode ser feito até o dia 7 de cada mês. O FGTS não é descontado do salário do trabalhador. Quem deve depositar é o empregador. Se você gostou deste informativo compartilhe e curta o nosso BLOG. Site: casacentroimoveis.com.br

Mais informações
small-blog

QUAL É A IMPORTÂNCIA DE FAZER UMA BOA AVALIAÇÃO DO SEU IMÓVEL

A avaliação de imóveis é um processo bastante importante para que transações imobiliárias bem-sucedidas sejam realizadas. Afinal, um imóvel bem avaliado pode registrar um aumento exponencial de suas chances de ser negociado de forma rápida. É por isso que este é um dos primeiros e mais fundamentais passos no processo de transação imobiliária. Mas, como fazer uma boa avaliação de imóveis? Quem pode fazer essa avaliação? Como ela funciona? Tire suas dúvidas sobre o assunto no post de hoje! Vamos lá? Qual é a importância de fazer uma boa avaliação de imóveis? O cliente chega na imobiliária com um preço pronto para a venda de seu imóvel. No entanto, ao ser questionado sobre o embasamento de sua decisão, uma vez que o valor está fora da média real do mercado, ele não demonstra muita segurança e, na verdade, sua definição partiu de uma série de informações desencontradas encontradas. A divulgação digital pode ser um grande aliado do profissional que trabalha com imóveis. No entanto, o excesso de informação e uma falta de filtro crítico podem acabar atrapalhando até mesmo a venda do imóvel. Para se chegar a um preço justo e competitivo é preciso realizar uma avaliação mais precisa e profissional, que gere um documento conhecido como Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica. Mas para poder gerar esse parecer, é preciso, antes obter registro no CNAI (Cadastro Nacional de Avaliadores de Imóveis). O que é o Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica? A realização desse tipo de avaliação de imóveis é feita mediante um Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica  ou laudo de avaliação. É esse instrumento que auxiliará a definir o valor de mercado de um imóvel seja casa, apartamento ou terreno. O documento deverá conter todas as informações sobre o imóvel definidas de acordo com a Resolução COFECI nº 1056/07 e da NBR nº14653 da ABNT. Esse laudo é muito utilizado por bancos para conceder financiamento e pela justiça, no caso de partilhas de bens, além dos casos de venda de imóveis de uma forma geral. A partir desse parecer, a instituição determina o valor a ser liberado para o interessado em adquirir o bem, que muitas vezes é diferente do valor estipulado pelo proprietário do imóvel. Para elaborar esse laudo é necessário ter um conhecimento técnico que pode ser adquirido no curso de Avaliação de Imóveis. Tipos de avaliação de imóveis Há diferentes tipos de avaliação de imóveis, no entanto existem três que são as principais e que iremos detalhar a seguir: 1. Parecer técnico de avaliação mercadológica Este é sem dúvida o mais preciso, no que diz respeito à avaliação de imóveis. Para fazê-la, é necessário a certificação CNAI devido ao método utilizado que é muito complexo e eficiente. 2. Avaliação individual Este tipo de avaliação quem pode fazer é o corretor mais experiente ou o diretor que tenha domínio da região a qual pertence o imóvel alvo da avaliação. Ela é considerada mais subjetiva. Em geral, este perfil de profissional tem um conhecimento tão avançado do mercado imobiliário que consegue mensurar o valor com uma visita ao local, pois está apto a fazer um cálculo levando em conta os pontos importantes para essa estimativa que são: localização, valores praticados na região, estado do imóvel, etc. 3. Avaliação por equipe A avaliação de imóveis por equipe é aquela na qual o preço é definido por um consenso entre os avaliadores. A imobiliária monta um comitê que faz uma avaliação do imóvel levando em consideração o método comparativo, verificando o que foi vendido ou alugado nas proximidades. Pode ser mais fiel, pois conta com a opinião de vários profissionais gabaritados para isso. Existe uma diferença entre o valor ofertado (e encontrado na internet) daquele que, de fato, o imóvel negociado. Os profissionais de imóveis devem ter conhecimento sobre isso, a fim de gerar sempre uma avaliação correta e que aumente as chances de o imóvel ser vendido ou alugado.    

Mais informações
small-blog

DIVISÓRIAS EM MDF - SOLUÇÃO E UM CHARME!

Está cansado da sua casa? Seus móveis parecem pequenos para os ambientes? Móveis planejados estão fora de cogitação?Pois bem, eis uma ideia: Divisórias.Elas podem servir como uma nova maneira de dispor seus móveis pelo apartamento, criando um corte entre áreas que você não quer que sejam tão expostas, ou mesmo valorizando uma pequena área que antes passava despercebida, além de proporcionar um efeito luminoso novo para aquele ambiente.As divisórias possuem diferentes estruturas e funções, podendo ser maciças ou vazadas, opacas ou transparentes, tudo depende da finalidade que você quer proporcionar.

Mais informações
small-blog

As preferências de compra de imóveis pelo público feminino!

Demandas e necessidades do público feminino. Mas em que pontos as preferências das mulheres se diferem das dos homens? Continue acompanhando e descubra!Querem imóveis funcionaisMulheres conseguem visualizar de maneira mais clara como será o dia a dia na casa nova. Por isso, já ficam atentas ao que consideram ser necessário para a manutenção e a higienização do imóvel, preferindo unidades com cozinhas e áreas de serviço menores, desde que não apertados demais. Também estão no foco da atenção feminina os materiais usados na construção e os acabamentos, do revestimento do piso até a qualidade dos armários embutidos. O grande diferencial nesse sentido está na facilidade dos cuidados com a casa.Apostam em áreas de lazer menoresGrandes quintais, áreas privativas ou coberturas enormes podem até encher os olhos no caminho para a compra de imóveis, mas as mulheres sabem bem como esses espaços exigem mais recursos e tempo para serem mantidos em bom estado. Por isso, o público feminino tende a não valorizar tanto a amplitude, mas sim pequenas áreas verdes e uma boa infraestrutura — como churrasqueira ou piscina de qualidade comprovada.Prestam atenção à segurançaComo o público feminino sabe que a segurança também é uma questão de localização, costuma preferir imóveis em locais que apresentem menos riscos. Para se certificar, as mulheres conversam com a vizinhança e verificam a existência de serviços próximos, como padarias, escolas, bancos e restaurantes, garantindo assim que a rua não ficará deserta e que as demandas da família serão devidamente atendidas. A existência de soluções de segurança, como porteiros, câmeras e grades, também conta pontos a favor.Exigem bons acabamentosQuando o assunto é preferência feminina na compra de imóveis, o perfil detalhista sempre vem à tona. E essa impressão realmente justifica no dia a dia! Mulheres conferem cada aspecto do acabamento, levando em conta a qualidade do material usado, a praticidade de manutenção da limpeza e até a presença de mofo ou de infiltrações, por exemplo. Se você trabalha com aluguel ou venda de imóveis usados, esteja ciente: para agradar esse público, é preciso entregar uma unidade antiga com o acabamento de uma novinha em folha!Pensam em toda a famíliaA quantidade e o tamanho dos cômodos são fatores decisivos para o público feminino. Afinal, as mulheres querem garantir que cada membro da família terá um espaço próprio e que as áreas comuns atenderão às necessidades de companheiros, filhos e visitas. Também estão atentas aos serviços de lazer presentes em condomínios residenciais ou prédios, observando tanto a variedade de soluções como a segurança de playgrounds, piscinas e salões de festa. Por fim, não se esqueça de que as mulheres dão bastante atenção ao orçamento familiar, não estando dispostas a fazer loucuras financeiras na hora de decidir pela compra de um imóvel. Além disso, outros aspectos também atraem a atenção das mulheres. É o caso da sustentabilidade. Quer saber mais sobre esse assunto para fechar mais negócios?Então leia nosso post para entender essa nova tendência do mercado imobiliário!

Mais informações
small-blog

Escritura Pública

Vocês se lembram do tema que já tratamos aqui: “Só é dono quem registra”?Pois bem, para que se proceder ao registro de uma aquisição de bem, oneroso (ex. compra e venda) ou gratuito (ex. doação), é necessário que se tenha uma Escritura Pública, lavrada em cartório de Notas, com a presença das partes envolvidas.Através da Escritura Pública, que é o instrumento jurídico pelo qual declara-se a vontade de celebração de um negocio jurídico, perante um Tabelião.No caso de Escritura Pública de compra e venda, ou doação de imóveis, as partes declaram as formas da aquisição (onerosa ou gratuita), cláusulas de responsabilidades e restritivas, quando o caso, dentre outros pontos que delimitam o negócio jurídico. Quando há Instrumento particular anterior à escritura, esse pode ser usado como base.Embora o Instrumento Particular de compra e venda, chamado popularmente de “Contrato de Gaveta”, tenha validade jurídica, e dependa de reconhecimento Judicial para tal; é com a Escritura Pública que o comprador adquire a propriedade Plena do imóvel. Após o registro da Escritura na Matrícula do imóvel, poderá dizer que é dono do bem.Por se tratar de declaração de vontade, são diversos casos que podem ser lavrados em Escritura Públicas, são eles: Compra e venda de bens imóveis, doações, Divórcio Consensual, Inventário, Declaração de paternidade, Cessão de direitos,  Confissão de Dívida, etc. Alguns atos, como Divórcio e Inventário, são tratados por leis específicas que autorizam a lavratura em Cartório de Notas, e necessitam da presença de um advogado.Importante salientar que, assim como o advogado e o corretor de imóveis, a Escritura Pública deve ser lavrada no Cartório de Notas de sua confiança, não existindo pré-determinação como acontece com o Cartório de Registro de Imóveis.Sempre que houver dúvida, procure um profissional, capacitado, de sua confiança, para que lhe esclareça. Fonte: Gabriela Jacon Sassi

Mais informações
small-blog

Da Doação de Bem Imóvel!

A doação é o contrato onde, uma parte (doador), por mera liberalidade, enriquece a outra (donatário) dispondo de um direito em seu favor e assumindo uma obrigação.Trata-se de um contrato unilateral, porque somente o doador assumi uma obrigação, gratuito, porque o donatário enriquece seu patrimônio sem pagar por ele, e consensual, pois, não exige a tradição imediata, ou seja, a entrega do imóvel ao donatário.Isso acontece quando a doação é guardada com Usufruto do bem, ou seja, o doador deixa de ser dono do imóvel, porém, enquanto ele viver ou por prazo inferior, ele tem o DIREITO de usar e usufruir dos frutos. Portanto, quando um doador doa um imóvel a outro, o direito de recebimento dos alugueis (frutos) são dele. O donatário somente possui a propriedade do bem, mas não pode dispor dele enquanto não receber posse.A doação pode ocorrer de diversas maneiras: I) Pura: não se subordina a condição ou encargo; II) Condicional: depende de acontecimento futuro e incerto (exemplo, casamento do donatário com determinada pessoa); III) Modal: é a que contem imposição de um dever ao donatário (exemplo, a construção de uma casa, e residir o donatário e a família); IV) Remuneratório: é a que se faz para recompensar serviços prestados; V) Mista: com traços de compra e venda, descaracterizando a gratuidade; VI) Conjuntiva: feita a mais de uma pessoa, em conjunto (exemplo: marido e mulher, irmãos, etc), e finalmente a VII) Por merecimento, do donatário. A doação ocorre por meio de escritura pública, lavrada em cartório de Notas, ou por meio de Instrumento Particular. Lembrando que, é necessário o registro dessa doação, para que o ato tenha validade, perante terceiros.O contrato de doação permite a instituição de cláusulas restritivas, como incomunicabilidade, que quer dizer que o imóvel não se comunica com o patrimônio do casal, mesmo em casos de regime de comunhão universal de bens, pertencendo somente ao donatário, e não sendo partilhado, em caso de divórcio; e impenhorabilidade, que proíbe a penhora do bem, ou que seja ofertado em garantia real, como fiança, caução, alienação fiduciária, etc.É claro que, o contrato de doação, mesmo sendo ato unilateral, e de livre vontade, depende da aceitação de quem recebe o bem, com encargos e cláusulas, quando existentes, exceto em caso de menores incapazes, quando se permite apenas a doação pura.Todas essas modalidades são tratadas no Código Civil, no Capítulo IV, DA DOAÇÂO.  Fonte: GABRIELA JACON SASSI

Mais informações
small-blog

VOCÊ SABE O QUE É ITBI?

ITBI: O QUE É E POR QUE DEVO PAGAR? Você sabia que, para realizar sonho da casa própria, é preciso passar por algumas etapas burocráticas? Apesar disso ser bastante conhecido, é comum um comprador desavisado se complicar durante o processo de transmissão de bens imóveis. Além de toda a documentação, sempre que alguém quiser adquirir ou vender um imóvel é preciso considerar em seu planejamento um imposto obrigatório: o ITBI. Ele é uma parte importante da compra de um apartamento, uma vez que garante ao novo dono a possibilidade de realizar a transferência do bem adquirido para o seu nome. Caso o comprador não quite esse tributo, ele não terá o direito de constar como proprietário na matrícula e no registro do imóvel. Após a leitura deste guia, você entenderá tudo o que precisa saber sobre esse imposto para evitar ter problemas com o fisco. Desde o que é ITBI, até as condições em que há isenção. Veja só! O que é ITBI? O Imposto de Transmissão de Bens Imóveis — mais conhecido pela sigla ITBI — é um tributo municipal que deve ser pago quando ocorre uma transferência imobiliária. Dessa forma, a oficialização do processo de compra e venda só será feita após o seu acerto, sendo que, sem a confirmação de pagamento do tributo, o imóvel não pode ser transferido e a documentação não é liberada. Previsto na Constituição Federal, esse imposto é cobrado apenas quando ocorre a transmissão de posse de um imóvel envolvendo pessoas vivas. Quando há sucessão por meio do falecimento ou doação, é cobrado o ITCMD (Imposto sobre Transmissão “Causa Mortis” e Doação). Em geral, é necessário que se reúna uma série de documentos para emitir a guia de recolhimento do imposto, como contratos, comprovantes de pagamento e formulários próprios de cada município. Por que devo pagá-lo? Conforme já foi explicado, é preciso que o comprador quite esse tributo para que ocorra a transferência de propriedade do bem adquirido para o seu nome. Sendo assim, esse imposto é importante para regularizar o imóvel nos registros públicos e garantir o acesso a serviços como asfaltamento das ruas, coleta de lixo, instalação e abastecimento de água e luz, entre outros. Além disso, é importante lembrar que, por se tratar de uma taxa cobrada pela Prefeitura Municipal, os recursos arrecadados pela cobrança do ITBI são utilizados para o benefício dos próprios munícipes, assim como o IPTU. Quando se deve pagá-lo? O ITBI deve ser recolhido pelo município sempre que houver a transmissão da propriedade de um imóvel envolvendo uma pessoa física, exceto em casos de sucessão por falecimento ou doação. Alguns municípios instituem que o ITBI deve ser pago após a lavratura da escritura pública, enquanto outros estabelecem que o recolhimento precisa ser efetuado depois do registro da escritura. Portanto, fique atento a isso e procure saber como funciona no seu caso. Os prazos de pagamento também podem variar de acordo com a cidade onde a venda é feita. É comum que os vencimentos para a quitação do imposto sejam próximos à efetuação da transmissão do imóvel, mais ou menos após um mês da conclusão da compra. Quem deve pagar o ITBI? Devido o fato de a Legislação Federal não deixar claro sobre quem cai a responsabilidade de quitar esse tributo, é comum essa questão ser regulamentada por uma lei municipal. Na maioria dos casos, ficou estabelecido que o comprador seria o responsável pelo pagamento do ITBI. Mesmo que não haja uma regra clara sobre essa questão, é uma prática comum do mercado que o consumidor se responsabilize por esse imposto. Entretanto, nada impede que as partes envolvidas na negociação façam um acordo no qual o vendedor assuma, parcial ou totalmente, esse compromisso. Desse forma, para evitar maiores problemas, o ideal é consultar a legislação da sua cidade — o que se tornou em uma tarefa bem mais simples com a Internet. Como é calculado o ITBI? Uma das principais características do ITBI é que não é cobrado um valor fixo por esse tributo. Dessa forma, para definir o montante a ser pago, é necessário considerar o valor venal (valor de venda) constado na guia de recolhimento do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano). Também é possível definir o custo por meio do preço registrado no contrato de compra e venda — a escritura também poderá ser utilizada. No entanto, devido à s cobranças indevidas de algumas prefeituras, o Superior Tribunal de Justiça teve um entendimento de que o ITBI deve ser calculado sobre o valor de compra do imóvel, mesmo que ele seja superior ao valor venal informado no IPTU. Assim, a cobrança desse imposto estaria coerente com o valor real do bem. Todavia, isso não ocorre na prática, uma vez que, ao ficar constatado que o valor venal é superior ao montante da negociação, a maioria das prefeituras utiliza o maior preço como base de cálculo desse tributo. Como essa prática é ilegal, o contribuinte que se sentir prejudicado poderá entrar com um recurso, administrativo ou judicial, para que o ITBI seja calculado de acordo com o entendimento do STJ (Superior Tribunal de Justiça). Agora, para determinar o montante a ser pago de ITBI não é necessário a realização de operações matemáticas complexas. Com o auxílio de uma calculadora, basta multiplicar a alíquota do imposto com o valor venal do imóvel, sendo que, o resultado dessa conta, é a quantia a ser quitada. Suponhamos que você deseja comprar um apartamento que custa R$ 200 mil. Caso a alíquota seja de 2%, a quantia a ser paga de imposto será de R$ 4 mil — 200.000 x 2% = 2000.000 x 0,02 = 4.000. Quais são as alíquotas cobradas? Pelo fato de o ITBI ser um tributo municipal, a Constituição Federal estabelece que cada prefeitura tem a autonomia para definir as regras sobre a cobrança desse imposto. Sendo assim, cada cidade pode determinar o valor da alíquota que será usada como base de cálculo. Nos grandes centros urbanos, por exemplo, as taxas variam entre 2% e 3%. Quais as alíquotas nas principais cidades do país? O ITBI é calculado com base nas taxas de IPTU de cada cidade. Portanto, ele pode variar entre 2 e 3%, dependendo da região. Os valores e taxas adicionais podem ser consultados diretamente na Secretaria da Fazenda ou Finanças do Município. Nas principais cidades do país a alíquota é a seguinte: São Paulo (SP): 3%; Rio Grande do Sul (RS): 3% Rio de Janeiro (RJ): 2%; Belo Horizonte (MG): 3%; Recife (PE): 3%; Porto Alegre (RS): 3%; Salvador (BA): 1% para imóveis populares e 3% para os demais; Manaus (AM): 2% nas transmissões acima de 20 mil reais. No nosso município de Santa Maria é 2,15% para negociações á vista. E 1% se a negociação for através de financiamento pelo SFH (sistema financeiro de habitação) cobrado sob o valor total. Em algumas cidades, as alíquotas podem variar de acordo com o valor e tipo de financiamento imobiliário ou compra do imóvel. Geralmente, moradias populares ou que estejam vinculadas a algum programa do Governo Federal ganham descontos para pagar o ITBI. Quando não é necessário pagar o ITBI? Conforme consta na Constituição Federal, o ITBI é um tributo que incide em uma transação imobiliária entre pessoas vivas. Sendo assim, caso ocorra o falecimento do proprietário, não ocorre a incidência do imposto na transmissão de propriedade por herança. O mesmo acontece quando o bem é doado a um terceiro — em ambas as situações são cobrados o ITCMD (Imposto sobre Transmissão “Causa Mortis” e Doação). Além disso, esse tributo não é cobrado quando a propriedade for adquirida por uma pessoa jurídica que pretenda utilizá-lo. No entanto, o ITBI é normalmente incidido quando a empresa adquire o imóvel com o objetivo de vender ou locá-lo. Também não há cobrança nas devoluções de imóveis. Dependendo da legislação municipal, existem situações em que ocorre isenção do imposto para determinadas faixas de valores. O mesmo acontece quando o comprador é beneficiário de algum programa habitacional do Governo Federal, como o Minha Casa Minha Vida. É possível conseguir desconto? Assim como acontece com as isenções, cada município tem autonomia para definir as regras que estabelecem a existência ou não de desconto no pagamento do ITBI. Portanto, é preciso consultar a legislação municipal para descobrir em quais condições ocorrem a diminuição na cobrança do imposto. É comum algumas prefeituras, como a de São Paulo, conceder desconto para os beneficiários de programas habitacionais que adquirirem o primeiro imóvel. De forma semelhante, existem legislações municipais que favorecem os contribuintes que quitarem o ITBI antes da lavratura da escritura. O que fazer em caso de atraso? Caso o comprador perca o prazo de pagamento do ITBI, ele não sofrerá nenhuma penalidade. Entretanto, não será possível realizar a transmissão de propriedade do bem adquirido naquele momento. Se essa situação vier a acontecer, será preciso reiniciar o processo de solicitação de cálculo do imposto na prefeitura para gerar um novo boleto. Preciso pagar ITBI mesmo se comprar o imóvel na planta? Mesmo que você compre um apartamento ou casa ainda na planta, o pagamento do ITBI é obrigatório assim que as condições citadas nos tópicos acima forem concretizadas. No caso desse tipo de compra, é utilizado o valor do imóvel quando estiver pronto para calcular o montante a ser pago de imposto. Portanto, é preciso muita atenção para as ofertas que prometem valores menores do ITBI para apartamentos comprados na planta. Como planejar o pagamento do ITBI? Dependendo do valor do imóvel escolhido, a conta pode ficar cara para o comprador. Por isso, é interessante sempre reservar um valor aproximado para lidar somente com os impostos e documentação na hora de receber o imóvel. Procure se informar sobre as políticas de pagamento e descontos da prefeitura do seu município. Outro ponto interessante é que algumas prefeituras não permitem o parcelamento do imposto. Além disso, pode haver multa no caso de atraso do pagamento. Esses são fatores importantes, pois podem impactar diretamente no planejamento financeiro. As transações imobiliárias podem parecer muito complicadas mas, no final, é tudo uma questão de pesquisar pela informação certa. É importante buscar saber mais sobre os impostos, alíquotas e todos os documentos e processos devidos diretamente com a Prefeitura de onde você mora e autoridades competentes. Você pode, além disso, ler todo o material disponível sobre o tema. Assim, você terá segurança para realmente realizar o melhor negócio sem dor de cabeça. Agora que você já sabe muito mais sobre o que é ITBI, que tal nos deixar um comentário dizendo como é a cobrança desse imposto em sua cidade? Até a próxima! Fonte internet comocomprarumapartamento

Mais informações
small-blog

Como um elevador pode valorizar seu imóvel?

O elevador residencial é uma tendência que vêm ganhando mais espaço nos últimos anos. Lá fora já é mais comum encontrar elevadores residenciais em residências. Aqui no Brasil, ainda são poucas as casas que dispõem de elevadores e as que tem geralmente são mansões ou grandes casas.O fato de uma casa ter elevador residencial é um diferencial que traz valorização no concorrido mercado imobiliário. Portanto, se você for vender uma casa que tiver um elevador residencial, muitos compradores em potencial e com alto poder aquisitivo podem se interessar.Quando você conversar com um corretor de imóveis para definir o preço da venda, é provável que ele coloque o valor da sua casa próximo do topo do mercado, apenas pelo fato de você ter um elevador residencial instalado.Elevador residencial para terceira idadeComo ter um elevador residencial agrega status a uma casa, instalá-lo pode ser facilmente considerado um investimento em sua propriedade. Uma grande parte da população está envelhecendo. Com a idade, começam a aparecer problemas como artrite ou outras doenças e dores que se manifestam no corpo, limitando e causando restrição de mobilidade.Subir escadas pode se tornar um problema real à medida que envelhecemos. Se você está feliz com o local onde mora e acha que está ficando cada vez mais difícil subir as escadas, um elevador residencial pode ser a solução.Para outros, podem ser uma forma de oferecer mais conforto aos pais ou outros parentes próximos. Muitas pessoas decidem comprar uma casa com um elevador residencial para facilitar a visita dos pais.Como fazer a melhor escolha?Comprar um imóvel é uma grande decisão. Muitos idosos e pessoas com mobilidade reduzida se mudam da casa para apartamento para ter mais facilidade e segurança na locomoção através de elevadores e evitar acidentes em escadas.Se você oferecer uma residência confortável, completa com um elevador, certamente uma pessoa da terceira idade ou qualquer tipo de limitação física irá preferir morar em casa.Ter a conveniência de um elevador residencial pode tornar seu sonho realidade. A ideia de comprar um imóvel mais acessível à longo prazo pode ser uma boa motivação para investir um pouco mais com elevador residencial.Facilidade no transporte de objetosSe você estiver cansado de levantar objetos pesados ​​para cima e para baixo da escada ou se sua saúde não estiver tão boa quanto antes, considere o valor de ter um elevador residencial instalado. É uma boa maneira de facilitar sua vida e, ao mesmo tempo, valorizar o seu imóvel, se você decidir vender.Você não precisa de um espaço enorme para instalar elevadores. Elevadores residenciais podem ser instalados em praticamente qualquer espaço e funcionam mesmo em caso de queda de energia.

Mais informações
small-blog

Erros frequentes na primeira compra de imóveis!

A compra de imóveis apesar de parecer simples é muito suscetível a pequenos erros que passam despercebidos a olhos não profissionais.Além da escolha do imóvel adequado existe uma série de cuidados a serem tomados que costumam não acontecer sem uma orientação profissional. Pesquisar pouco antes da escolha O investimento é alto, portanto a chance de se arrepender deve ser a mínima possível. E só pesquisando muito para encontrar o esperado e ideal. A escolha precisa considerar o conforto pessoal de quem irá habitar o espaço, o valor, a localização, a condição atual do imóvel e os planos futuro. Não se planejar financeiramente Conhecer sua própria renda e saber o limite que poderá ser investido é um passo inicial. Por isso é tão importante simular a compra e verificar com profissionais as possibilidades de financiamento possíveis. O planejamento financeiro exige cautela e responsabilidades. Quanto mais alinhadas estiverem suas finanças aos seus gastos, mais fácil será manter as parcelas em dia e não se apertar ao longo dos meses. Com algumas dicas úteis o planejamento para comprar a casa própria pode ser mais eficaz. Clique aqui para saber como economizar e comprar a casa própria. Vistoria deficiente Quem já comprou um imóvel por conta própria sabe que os perrengues pós venda são comuns. Por isso á vistoria precisa ser extremamente cautelosa. A imobiliária garante essa vistoria tanto na compra quanto no aluguel de imóveis, além do primeiro filtro para anunciar, após a escolha a visita de vistoria serve para verificar o que foi prometido e identificar o que está irregular, desde detalhes na estrutura até problemas maiores, como infiltrações, má instalação elétrica, etc. Não tirar dúvidas sobre contrato As previsões do contrato são geralmente claras e discutidas entre comprador e proprietário. Entretanto as dúvidas entre o acordo devem ser pontuadas desde o primeiro contato, pois a assinatura validará tudo o que nele estiver constado. A leitura do documento completo é indispensável para quem quer manter a garantia dos seus direitos e aplicar também suas condições a respeito do acordo. Essas dúvidas devem ser esclarecidas por um profissional e reformuladas, se for caso, com o proprietário. Dispensar auxilio de profissionais A habilitação do CRECI permite que apenas profissionais aptos trabalhem com a intermediação das vendas de imóveis e que este conduza o comprador instruindo e oferecendo as soluções adequadas em todas as fases da compra, desde a pesquisa de imóveis até a parte burocrática. É por isso que a mediação de um profissional torna o processo de venda, compra e nova documentação bem mais rápido e seguro. A imobiliária poderá garantir: A proteção dos seus dados pessoaisA legalidade da documentaçãoA rapidez de todo o processo Fonte Atual imob

Mais informações
small-blog

Nós te ajudamos a realizar sonhos!

Que tal aproveitar as opções de imóveis e fazer uma boa negociação? Muitas oportunidades de comprar o seu primeiro imóvel ou novas chances de investimentos! Venha até a CasaCentro Imóveis e confira! Conseguimos realizar o sonho de várias pessoas no primeiro semestre e quem sabe o seu a partir de agora?!Esperamos você!

Mais informações
small-blog

Cliente CasaCentro

A CasaCentro agradece a confiança e nos realizamos com o sucesso da negociação!

Mais informações
small-blog

Retomados

A CasaCentro Imóveis é referência com reconhecimento a nível estadual no Rio Grande do Sul sendo a empresa que mais vendeu Imóveis Retomados Caixa no ano 2019. Competência e profissionalismo fazendo muitos investidores e clientes felizes.Compre-os com a assessoria ESPECIALISTA em Imóveis Caixa, somos agente autorizado, referência absoluta na consultoria e assessoria em venda on line, venda direta e venda em disputa de imóveis. Garantia e agilidade na prestação de serviços para aquisição de imóveis CAIXA. Saiba mais em como adquirir  Imóveis Retomados em oportunidades abaixo do valor de mercado e com total segurança de fazer o melhor negócio.E se você deseja saber mais sobre Imóveis Retomados e como comprar conosco e com assessoria gratuita, leia abaixo.O que é?São imóveis usados (casas, apartamentos, coberturas, terrenos, salas comerciais, barracões, box, etc) de propriedade da Instituição Financeira, disponíveis para compra nas modalidades venda on line, venda direta e venda em disputa de imóveis com preços atrativos e condições especiais.Você que é investidor e deseja adquirir um imóvel de propriedade da Instituição Financeira, também conta com mais vantagens na hora de comprar. Alguns imóveis aceita utilização de FGTS, outros financiamento habitacional, outros aceita consórcio e outros parcelamento.Além disso, as contas e impostos em atraso até a data da venda são pagas, deixando você livre de qualquer dívida do imóvel atrasada.Como comprar?Você pode entrar em contato com a CasaCentro Imóveis um consultor(a) treinado vai lhe atender dando ASSESSORIA totalmente GRATUITA, e encontrar o imóvel ideal para você e sua família.Localização, endereço, detalhes do imóvel, etc informações sobre os trâmites com orientações precisas e detalhadas. Orientações pessoalmente pelo watssap e por email,Se você deseja comprar sozinho e quer ter a ASSESSORIA GRATUITA na venda on-line, você apresenta uma oferta a partir do preço mínimo de venda registrado na página do imóvel de seu interesse. É considerada vencedora a maior proposta financeira no momento em que o cronômetro chega ao zero. Para a venda ser intermediada pela CasaCentro basta selecionar a opção no momento de preencher a proposta “deseja a intermediação do credenciado?” Marque a opção e assinale a razão social da CasaCentro Imóveis. Neste caso, a comissão do profissional é paga exclusivamente pela Instituição Financeira.Conheça as vantagens em adquirir imóveis de Instituição Financeira na CasaCentro§  Financiamento: A Caixa possibilita que você financie até 95% (mediante análise de crédito) do valor de venda do imóvel * – com taxa diferenciada e a alternativa de usar o FGTS – em todas as modalidades de compra: venda direta e venda on-line.§  Consulte as condições de cada propriedade nos editais ou, no caso de venda on-line, na página do imóvel.*Limitado a 80% do valor de avaliação do imóvel.*Condição válida para SBPE e PRÓCOTISTA.§  A CasaCentro tem CCA Correspondente Caixa Aqui e realiza sua análise de crédito e seu financiamento habitacional, além da assessoria gratuita e você tem a comodidade de fazer todo o trâmite conosco.Assessoria para Imóveis Retomados GratuitaCompre-os com a assessoria ESPECIALISTA em Imóveis da Caixa, somos agente autorizado, referência absoluta na consultoria e assessoria em venda on line, venda direta e venda em disputa de imóveis. Garantia e agilidade na prestação de serviços para aquisição de imóveis CAIXA. Saiba mais em como adquirir  imóveis Retomados em oportunidades abaixo do valor de mercado e com total segurança.Consulte um de nossos consultores e tire suas dúvidas.Contas em dia.§  Contas em dia: As contas de condomínio e IPTU em atraso até a data da venda são de responsabilidade da Instituição Financeira. Assim, quem compra fica livre de qualquer dívida, desde que não seja o responsável pelos débitos existentes.§  A CasaCentro como credenciada tem a responsabilidade de recolher e enviar os débitos de acordo com o protocolo estabelecido pela Intituição. Documentos e escritura§  Imóveis escriturados: As propriedades ofertadas possuem escrituração no Cartório de Registro de Imóveis em nome da Instituição Financeira.§  A CasaCentro assessora você você desde o início e após a documentação sair do Registro de Imóveis fazemos a transmissão de titularidade do IPTUs e condomínios.Imóveis ocupadosSaiba o que fazer se o imóvel comprado estiver ocupado.Após o imóvel estar averbado em seu nome no Cartório de Registro de Imóveis e o registro de propriedade do bem estar ok, que é comprovado pela Escritura/Matrícula você tem a opção de fazer uma Notificação Extra Judicial através de Oficial de Justiça(editamos para você) comunicando o ocupante que o imóvel é de legitimidade de propriedade. Após o vencimento do prazo Extra Judicial vencer sem nenhum contato do ocupante a partir desse momento, você com Direito Real do imóvel, possibilita usá-lo diretamente, emprestar, alugar e também solicitar ao juízo competente (foro judicial) o pedido de desocupação. Para isso, você precisará de um advogado.O trâmite de desocupação é de responsabilidade do comprador.Estamos esperando você para realizar um grande investimento ou comprar o imóvel dos seus sonhos! Comprar um imóvel é uma grande conquista e ainda ter rentabilidade e ganhar muito é imperdível.Se você quer um pouco mais de esclarecimento também podemos ajudar nos nossos vídeos informativos no youtube. Assessoria Gratuita com profissionalismo.

Mais informações
small-blog

O que é o IPTU? Um conteúdo inteiro para você.

O IPTU é o Imposto Predial e Territorial Urbano, este tributo é cobrado pelas prefeituras e tem como fato gerador a propriedade, domínio útil ou a posse do imóvel. É importante definir o fato que gera o IPTU porque o mesmo ajuda na decisão de quem deve ser o responsável pelo pagamento do mesmo. Mas vamos ver este detalhe com mais calma ao longo deste artigo.Voltando à definição do imposto é importante lembrar que o mesmo é válido apenas para a zona urbana. Sendo que para que um local seja considerado como zona urbana é necessário que ele tenha: Meio-fio ou calçamento com canalização de águas pluviais; Abastecimento de água; Sistema de esgotos sanitários; Rede de iluminação pública, com ou sem posteamento para distribuição domiciliar; Escola primária ou posto de saúde a uma distância máxima de 3 quilômetros do imóvel considerado. É importante notar que loteamentos aprovados pelos órgãos competentes podem ser considerados uma zona urbana. Mesmo que os mesmos não atendam todos os itens listados acima.Quanto ao custo do IPTU, o valor é definido com base no valor venal dos imóveis. A alíquota depende do município no qual o imóvel está localizado, mas o valor máximo é estipulado em 15% pela lei 10.257/2001. No entanto o valor cobrado pela maioria das cidades é bem inferior.Quem deve pagar o IPTU Este é um detalhe importante porque a interpretação do assunto não é tão simples quanto parece. Muitos proprietários assumem que o pagamento do IPTU é responsabilidade do inquilino. Ao mesmo tempo, alguns inquilinos podem ler sobre o assunto de maneira equivocada e acreditar que a responsabilidade é do proprietário. O corretor de imóveis deve, nestes casos, ser quem orienta ambas partes. Evitando conflitos ou dúvidas.Vamos entender melhor então este tema. Para a Receita Municipal Para a prefeitura e de acordo com o Código Tributário Nacional (CTN) o proprietário é o responsável pelo pagamento do IPTU. Isso significa que, caso o IPTU não seja pago, ele sofrerá as sanções legais.Sobre as sanções legais que podem ser aplicadas, uma delas é a inscrição do nome do proprietário no Cadin (uma espécie de SPC/Serasa dos órgãos públicos). Quem tem o nome nesta lista tem dificuldades na hora de negociar com bancos, não pode financiar imóveis pela Caixa e nem pedir um financiamento estudantil.Mas as sanções não param por aí, o limite é a execução de bens para o pagamento da dívida. Sendo que o proprietário pode vir a perder o imóvel. E não adianta alegar que o inquilino deveria pagar o imposto, pelo menos não com os órgãos públicos. Neste caso, é necessário ir à Justiça e resolver este problema com um juiz. A Lei do Inquilinato De acordo com esta lei o proprietário pode incluir no contrato de locação uma cláusula determinando que o locatário deverá pagar o IPTU e outras despesas (como o condomínio). Mas isso é uma mera permissão, o proprietário ainda é o responsável por recolher este valor ou certificar que o mesmo foi realmente pago.É como seu seu chefe dissesse para você que seu assistente pode escrever o relatório. Mas se algo ocorrer o responsável ainda será você. Falar para o seu chefe que você está esperando o seu assistente finalizar pode não ajudar muito. O mesmo vale aqui.zmente existe a Justiça. O proprietário pode procurar um advogado e entrar com uma ação para reaver o pagamento do IPTU. Claro, para isso a cláusula que determina que o IPTU será responsabilidade do inquilino deverá estar no contrato. E, com base nesta informação, o juiz poderá determinar a rescisão do contrato, o despejo do inquilino e até mesmo a execução fiscal dos bens para pagamento da dívida.Mas é importante notar que mesmo com uma decisão favorável de um juiz, o proprietário não terá, necessariamente seu nome retirado do Cadin imediatamente. Será necessário realizar o pagamento das dívidas com a prefeitura primeiramente.Para evitar problemas, recomenda-se que o proprietário exija o comprovante de pagamento do IPTU. Ou ele mesmo pode executar o pagamento e pedir a restituição do valor caso isso tenha sido definido no contrato. Em alguns casos pode ser melhor realizar o pagamento do IPTU para evitar as sanções legais e, após isso, buscar meios de reaver o valor na justiça.Sobre a compra e venda de imóveis É importante citar que o IPTU é igual ao IPVA e eles acompanham o imóvel. Isso significa que quem compra o imóvel assume estas dívidas. Isso mostra que é extremamente importante exigir do proprietário que ele comprove que pagou o IPTU atual. Além disso ele deverá comprovar também que não tem dívidas anteriores.Geralmente exige-se uma certidão negativa, que mostra que não existem dívidas com a receita municipal. E pede-se também o comprovante de pagamento do último IPTU, porque este pode não constar na certidão ainda. Por exemplo, é possível que uma certidão seja negativa mesmo que o IPTU deste ano ainda não tenha sido pago. Isso acontece devido ao tempo de processamento e outras burocracias.Quem compra o imóvel com IPTU atrasado pode também entrar na justiça e alegar enriquecimento indevido por parte do ex-proprietário. Mas o mesmo só será condenado à pagar pelo IPTU atrasado se for comprovado que o comprador não tinha conhecimento da condição tributária do imóvel.Essas informações são bastante complexas e se você tiver dúvidas saiba que estamos na CasaCentro para te ajudar. Fonte: ville Imob

Mais informações
small-blog

Como transportar animais em mudanças internacionais!

Se você vai realizar uma mudança internacional e quer levar o seu animalzinho de estimação, alguns cuidados devem ser tomados para realizar tal procedimento.Nas mudanças interestaduais ou internacionais, consultar as normas para o transporte dos pertences é fundamental para evitar aborrecimentos ou ter impedimentos pela falta de alguma documentação exigida.Na hora de realizar uma mudança internacional é preciso uma organização antecipada para não ter imprevistos no decorrer do processo, como ter os pertences bloqueados na saída do país ou no destino final.Se além dos pertences você vai levar o seu animal de estimação na mudança, então deve ter uma atenção especial para os procedimentos necessários. Nos casos de transporte internacional de animais, algumas regras precisam ser respeitadas, já que, se a documentação não estiver em ordem, o animal será impedido de embarcar. Confira a seguir as normas brasileiras para esse tipo de procedimento.1) Restrições com o tansporteAntes de dar início aos procedimentos para o transporte internacional do seu pet, você deve confirmar se o país para o qual você está viajando aceita recebê-lo. Alguns países têm restrições a alguns tipos de raças, como no caso do Reino Unido.É importante consultar também, se a companhia aérea que você escolheu faz o transporte do seu animal, pois dependendo da raça, algumas companhias não realizam o serviço. O cuidado deve ser tomado principalmente com os cães e gatos de focinho curto, por questões de dificuldade respiratória e sensibilidade ao calor.2) Vacinas exigidasPara poder voar, o seu pet deverá tomar todas as vacinas necessárias, principalmente no caso da vacinação contra a raiva. O certificado de vacinação antirrábica é solicitado para os animais que têm mais de 3 meses de idade. O animal deve tomar a vacina de forma antecipada, não menos de 30 dias antes e não mais do que 1 ano antes de embarcar. Se a vacina vencer antes do prazo da viagem, tome o cuidado de vacinar novamente o seu animalzinho com 30 dias de antecedência da data da viagem.3) Certificado Veterinário InternacionalUma das regras brasileiras para o transporte internacional de animais é o Certificado Veterinário Internacional (CVI), que deverá ser solicitado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Esse certificado é um exame clínico que vai indicar que o animal está com a saúde em dia. O documento deverá ser emitido em uma data próxima da viagem, de até 10 dias antes, ou conforme regra do país de destino.Para emitir o certificado será solicitada, entre outros documentos, a carteira de vacinação com a dose antirrábica em dia, além de outras vacinas conforme requerimento do país de destino. Você também deverá ter em mãos um atestado de saúde do seu pet, em via original, assinado, carimbado e datado pelo médico veterinário. Você deve consultar se o país para onde está indo viajar tem alguma solicitação específica que deverá constar no CVI.4) Passaporte brasileiro para cães e gatosAlém disso, para facilitar o processo, o animalzinho de estimação conta com a possibilidade de um passaporte brasileiro, que pode ser expedido para cães e gatos. Consulte se o país para o qual você está indo aceita esse documento. O passaporte é expedido pelas unidades de Vigilância Agropecuária Internacional.5) Microchip e quarentenaEm alguns casos, os países de destino podem solicitar também que o animalzinho de estimação tenha um microchip. É importante que você consulte antecipadamente para pedir ao veterinário do seu pet que faça o procedimento no prazo adequado. Além disso, conforme o destino final da viagem, é preciso que o animal passe por um período de quarentena antes de viajar.6) Procedimentos no destino finalNo destino final, será solicitada toda a documentação que vai comprovar que o animal está em dia com as vacinas e cuidados veterinários. Você deverá apresentar os exames e a carteira de vacinação. Você também precisa ter em mãos o Certificado Veterinário Internacional que foi expedido no Brasil.Dependendo do país de destino serão verificadas também, além da documentação padrão, outras exigências específicas, como por exemplo, se o animal passou pelo período de quarentena ou se possui o microchip. Consulte detalhadamente toda a documentação necessária antes de sair do Brasil para evitar transtornos.Fonte: mudanca.com

Mais informações
small-blog

Ciclo de vida!

DICA CASACENTRO – O seu condomínio considera a sua trajetória de vida nos diferentes momentos da sua vida?A dica é, quando você for investir num imóvel para morar com a sua família pensando num futuro a longo prazo, avalie, considere as diferentes fases da sua vida, e dos seus familiares.Você terá a comodidade que busca quando se aposentar? ou seus filhos têm área de lazer, poderão jogar futebol, exercitar ou caminhar? Tem áreas verdes? Enfim a tranquilidade que você merece e o conforto, valoriza a sua escolha!

Mais informações